sexta-feira, 24 de março de 2017

Federação Catarinense de Atletismo com novo presidente

Sergio Galdino e Deraldo Oppa. Foto: CBAt
Montagem: O Marchador
Deraldo Ferreira Oppa foi eleito, por aclamação, presidente da Federação Catarinense de Atletismo, a segunda mais importante do Brasil e aquela em que a marcha atlética apresenta os maiores índices de desenvolvimento de todo o país.

Deraldo Oppa, que foi diretor-técnico da FCA, é eleito para um mandato que se prolongará até 2021, substituindo no cargo Walmor Battistotti Filho que dirigiu os destinos da entidade nos últimos 12 anos. Este proferiu palavras elogiosas ao seu sucessor lembrando que foi um bom parceiro e que “fará um grande trabalho para o nosso atletismo”.

Outra das facetas do novo presidente da FCA é a paixão que nutre pela arbitragem. Conhecedor profundo do atletismo foi o locutor, de língua portuguesa, das provas de atletismo dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Professor aposentado da Universidade Federal de Santa Catarina, integra desde há vários anos o painel de árbitros da Confederação Brasileira de Atletismo.

Da nova equipa diretiva da FCA destaca-se Sergio Vieira Galdino que terá a função de vice-presidente. Participou nos Jogos Olímpicos de 1992, 1996 e 2004, os dois primeiros na distância de 20 km marcha e na última competindo nos 50 km marcha. Campeão sul-americano em 1999 e 2003 teve, no entanto, o seu grande momento no plano internacional, cotando-se como uma das maiores figuras de todos os tempos da marcha atlética no Brasil, ao concluir os 20 km marcha dos campeonatos mundiais de Estugarda (1993), na sexta posição.

À nova equipa diretiva da Federação Catarinense de Atletismo, a equipa de “O Marchador” endereça votos de felicidades!

quinta-feira, 23 de março de 2017

Critério nacional de Inverno «Hammani Abdelkader» na Argélia

Mohamed Ameur, a 1.ª e 3.ª classificadas da equipa do MBB,
Tinhinane Boumaza e Souad Azzi com o treinador Boubekeur
Moussaoui e fase inicial da prova masculina. Fotos: fb Club
Athlétique Tlemcen.CAT (arq.) e Boubekeur Moussaoui.
Montagem: O Marchador
A Liga de Wilaya de Biskra, da Federação Argelina de Atletismo, fez disputar nos passados dias 17 e 18 no Centro Desportivo de Biskra, cidade do norte do país com uma população a rondar os 300.000 habitantes, o Critério nacional de Inverno «Hammani Abdelkader» com provas às 7.45 horas de 10.000 metros marcha para masculinos (ou o que deveria ter sido a distância), dia 17, e femininos, dia 18.

A prova masculina foi surpreendentemente concorrida e rápida, com 27 participantes e 23 a concluírem a prova. O vencedor Mohamed Ameur bateu o recorde pessoal por quase um minuto e ameaçou o recorde nacional absoluto da Argélia que está na posse de Aiwahab Ferguene, desde 2000, com 39.46.14. Ameur foi único atleta a baixar 40 min fixando 39.57,75. O segundo classificado foi Aymen Abdelfett Sabri, jovem de 22 anos, com 40.09.14, e o terceiro Mohamed Fateh Meddour, com 40.10.33. Mais tarde verificou-se que os atletas percorreram não os 10.000 metros de prova mas sim 9.600 metros, portanto menos 1 volta, com exceção para o 15.º classificado, Mehdi Abidi (46.13,02) que fez a distância correcta.

Ameur, de 32 anos, teve o seu ano dourado em 2008 quando se sagrou campeão de África com um recorde pessoal nos 20km de 1.22.55 em Adis Abeba, na Etiópia, tendo ainda sido olímpico em Pequim.

Na prova feminina a participação também foi expressiva, com 15 atletas à partida (11 à chegada). Tinhinane Boumaza, que completou 20 anos no dia 11 de Março, bateu o seu recorde pessoal por larga margem vencendo com 48.46.68. Na segunda posição ficou Bariza Ghezlani, com 49.28.59, e na terceira a jovem de 17 anos Souad Azzi, com 52.24.76. O recorde da Argélia dos 10.000 metros em pista está na posse de Kara Dounia, com 46.48.0 desde 1996.

Colaboração: Kristina Saltanovic

Classificações
9.600 m masculinos (excepto para o 15.º classificado, 10.000 m)
1.º, Mohamed Ameur, 1984 (ASSN), 39.57,75
2.º, Aymen Abdelfett Sabri, 1994 (ASSN), 40.09,14
3.º, Med Fateh Meddour, 1990 (GSP), 40.10,33
4.º, Lyes Khali, 1987 (ASSN), 40.23,24
5.º, Adlen Elbey, 1997 (OFAC), 42.23,36
6.º, Tewfik Yesref, 1993 (GSP), 42.31,86
7.º, Bilal Djafri, 1998 (MBB), 42.53,25
8.º, Mohamed Touil, 1993 (CAT), 43.38,45
9.º, Hamza Benlakhal, 1991 (OFAC), 44.58,11
10.º, Othmane Chibani, 1999 (IND), 45.20,63
11.º, Mohamed Djedel, 2000 (CAT), 45.35,18
12.º, Eskander Ayari, 1999 (MAC), 45.37,40
13.º, Raouf Madani, 1999 (CSSET), 45.50,86
14.º, Yacine Mekhfi, 1987 /CAB), 46.00,64
15.º, Mehdi Abidi, 2000 (CSSET), 46.13,02 – 10.000 metros
16.º, Adel Boutaleb, 1995 (ROC), 46.24,49
17.º, Aymen Ameur, 1996 (OFAC), 46.33,61
18.º, Farid Balti, 1998 (CSSET), 47.04,65
19.º, Mohammed Hammouda, 2000 (RCA), 47.06,12
20.º, Said Khoufech, 2001 (RCA), 48.01,46
21.º, Nabil Rezgui, 2000 (MAC), 48.11,70
22.º, Mustapha Naoui, 1997 (MCL), 48.47,17
23.º, Abdelhak Bakrim, 2000 (OFAC), 49.03,31
24.º, Halim Bouhraoua, 1998 (CSSET), 59.19,50
25.º, Mohamed Mansour, 2001 (RCA), 59.20,60
Desistentes: Hichem Medjber, 1982 (IND) e Said Touche, 1999 (MBB).

10.000 m femininos
1.ª Tinhinane Boumaza, 1997 (MBB), 48.46,68
2.ª, Bariza Ghezlani, 1993 (ASSN), 49.28,59
3.ª, Souad Azzi, 1999 (MBB), 52.24,76
4.ª, Meriem Amel Zoubiri, 1999 (ROC), 55.19,23
5.ª, Nicette Ramdani, 1994 (ASFJ), 57 35,42
6.ª, Nesrine Berrabia, 1997 (CAAT), 59.26,79
7.ª, Manar Aidi, 1998 (MCL), 1.00.04,22
8.ª, Khouloud Bouzid, 1995 (MAC), 1.00,09,57
9.ª, Mahdjouba Betta, 1998 (CAAT),1.02.54,70
10.ª, Ismahane Bourif, 1997 (ASAPC), 1.03.56,20
11.ª, Rayene Cherbal, 1997 (MAC), 1.06.42,15
Desistentes: Noura Ben Azedine, 1996 (CAAT), Aicha Rania Tahri, 1996 (CAAT), Asma Ouklif, 1991 (CAB) e Zina Bouhraoua, 1997 (CSSET).

Os juízes nos mundiais de veteranos de Daegu

Helena Carvalho, a ITO portuguesa, e os juízes de marcha.
Fotos: Emmanuel Tardi, EMA e Helena Carvalho.
Montagem: O Marchador
Na marcha atlética, uma das disciplinas com inegável importância no âmbito do atletismo internacional veterano, os juízes de marcha têm um papel muito importante na salvaguarda do cumprimento das normas regulamentares. E eles estão a atuar em Daegu onde uma percentagem muito alta de participantes é oriunda do continente asiático.

Moreno Beggio, de Itália, é o juiz-chefe das provas de marcha, cabendo-lhe a responsabilidade de articular com o Comité Organizador todas as matérias necessárias para o bom desempenho da missão dos juízes nas várias provas de pista coberta e nas quatro competições de estrada, decidindo o posicionamento dos juízes e providenciando pelos materiais e impressos que os mesmos habitualmente usam no desempenho da sua atividade.

O corpo de juízes de marcha, do painel mundial de especialistas masters, é ainda composto por Maria Alfaro-Casan, do México (eleita em 2016 secretária-geral da Associação Mundial de Masters), Marion Buchanan, da Austrália, Jo Burrows, dos EUA, e Dukho Cho, da Coreia do Sul, juízes com muita experiência em competições internacionais, que serão acompanhados na função por outros juízes do principal painel nacional de especialistas do país anfitrião.

A portuguesa Helena Carvalho que é a responsável pela Câmara de Chamadas. Secretária-Geral da Associação Europeia de Atletismo Master (EMA, na designação inglesa), a juíza de Coimbra é Oficial Técnica Internacional da Associação Europeia de Atletismo, a par de Luís Abegão, Rui Loução e Elisabete Simão.

De referir igualmente a presença no evento de Cesar Moreno Bravo (México) um dos destacados dirigentes mundiais do atletismo que já fez parte do Conselho da IAAF, com ligações muito próximas à estrutura mundial master, e que igualmente coordenou grupos de trabalho na marcha atlética com um envolvimento muito acentuado na disciplina como aconteceu ainda recentemente nas provas do challenge mundial do México, em Ciudad Juárez e Monterrey. Há alguns anos foi distinguido pelo presidente da Câmara Municipal de Daegu com a entrega das chaves da cidade num gesto de reconhecimento pelo seu contributo na formação de juízes coreanos no período que antecedeu a realização dos mundiais de atletismo, em 2011.

Significativos atrasos marcam nacionais de veteranos em pista coberta

Pedro Martins (M45) e Maria Orlete Mendes (W65) com as marcas
mais valiosas dos campeonatos e as partidas das séries em que
tomaram parte. Fotos: ADAL. Montagem: O Marchador
Pese embora os bons resultados e a boa adesão de participantes, atrasos entre 2 e 3 horas na jornada de sábado (18 de Março, Pombal), a que integrou as provas de marcha de 3.000 metros, disputadas em 4 séries, marcaram negativamente a edição do Campeonato Nacional de Atletismo Master em Pista Coberta, uma responsabilidade da ANAV - Associação Nacional do Atletismo Veterano.

Sendo algo já recorrente, importa repensar a fórmula organizativa dos eventos destinados a veteranos, não esmorecendo o entusiasmo e a expectativa dos que pagam para ser sócios e ainda para participar em provas.

Como se não bastasse o atraso já existente, a organização fez esperar ainda mais os marchadores introduzindo no meio das suas provas as séries de 60 m barreiras que no programa estavam previstas após a marcha e a encerrar a jornada do 1.º dia. Neste âmbito, registe-se o «protesto» do olímpico Pedro Martins (M45), que obteve a marca mais valiosa (12.54,84, 92.64%) da disciplina nos campeonatos, não participando na cerimónia de premiação.

Na primeira prova de marcha, destinada a senhoras dos escalões W35, W40 e W45, 15 segundos separaram na meta as duas primeiras classificadas W40, com o título nacional a ficar na posse de Sandra Silva (CF Oliveira do Douro, 14.18,73. Alexandra Lamas (GDP Chão Duro, 14.33,32), seria a segunda classificada, e o terceiro lugar absoluto foi alcançado por Felicidade Rosa (CA Galinheiras, 15.18,75), a primeira W35. Com o cronómetro ainda na casa dos 15 minutos, chegava Sandra Leitão, 3.ª W40 (ADRE Palhaça, 15.56,36). Maria de Fátima Costa (CA Galinheiras, 17.37,30), seria a 5.ª da geral vencendo o escalão W45.

Seguiu-se a prova de senhoras de 50 ou mais anos, com a mais idosa de entre todas as concorrentes, Maria Orlete Mendes (CA Galinheiras), W65, a cortar a meta em primeiro lugar, com 17.12,24, marca correspondente a 88,57% pela tabela internacional de graduação de idades, a mais valiosa das marchadoras nestes campeonatos. Maria Alice Fernandes, W60 (SST São João da Madeira, 17.46,52) e Maria Peixoto, W50 (C Spiridon Gaia, 18.12,45) conquistaram os títulos nacionais nos seus escalões.

Nos homens, a prova destinada aos escalões de 35 a 54 anos de idade afigurou-se a mais competitiva, com Pedro Martins, M45 (CA Seia) a impor-se com a marca mais expressiva dos campeonatos, 12.54,84, e a bater por 6 segundos o seu principal adversário no escalão Augusto Cardoso (ACRS Desterro, 13.00,69). Outros títulos ficaram na posse de Jaime Santos, M40 (GRECAS Vagos, 13.57,02), Manuel Marques, M35 (CF Oliveira do Douro, 14.17,00) e Henrique Santos, M50 (GD Diana, 14.59,57).

Finalmente, na última prova da disciplina, M55 a M80, Francisco Reis, M55, que em Portugal representa o Gira Sol e que compete pela Grã-Bretanha em eventos internacionais, venceu sem dificuldade, com 14.16,72. José Magalhães, M60 (AC Alfenense, 15.13,49) seria o 2.º da geral e vencedor da sua categoria etária. A fechar o pelotão, classificaram-se os vencedores dos escalões mais idosos, o russo Iurii Polovshchikov, M70 (CF Belenenses, 24.50,75) e Vasco Mendes, M80 (Linda-a-Pastora SC, 25.20,84).

Classificações
3.000 m femininos - W35 a W45
1.ª, Sandra Silva, 1975 (CF Oliveira do Douro), 14.18,73 - 1.ª, W40
2.ª, Alexandra Lamas, 1972 (GDP Chão Duro), 14.33,32 - 2.ª, W40
3.ª, Felicidade Rosa, 1979 (CA Galinheiras), 15.18,75 - 1.ª, W35
4.ª, Sandra Leitão, 1975 (ADRE Palhaça), 15.56,36 - 3.ª, W40
5.ª, Maria Fátima Costa, 1971 (CA Galinheiras), 17.37,30 - 1.ª, W45
6.ª, Ana Macedo, 1972 (UA Povoense), 19.16,47 - 4.ª, W40
7.ª, Sónia Neves, 1975 (CA Tunes), 19.30,81 - 5.ª, W40
8.ª, Natália Santos, 1970 (SSTS João da Madeira), 19.31,47 - 2.ª, W45
9.ª, Andreia Ribeiro, 1980 (ACS João da Serra), 19.45,65 - 2.ª, W35
10.ª, Teresa Sousa, 1974 (GDS Domingos), 20.03,22 - 6.ª, W40
11.ª, Marcelina Carvalho, 1972 (CA Avintes), 20.09,19 - 7.ª, W40
12.ª, Eugénia Fernandes, 1969 (GDP Chão Duro), 22.28,12 - 3.ª, W45
13.ª, Maria Martins, 1967 (CA Tunes), 22.47,09 - 4.ª, W45
14.ª, Ana Carvalho, 1967 (ACS João da Serra), 25.02,27 - 5.ª, W45

3.000 m femininos - W50 a W65
1.ª, Maria Orlete Mendes, 1951 (CA Galinheiras), 17.12,24 - 1.ª, W65
2.ª, Maria Alice Fernandes, 1952 (SSTS João da Madeira), 17.46,52 - 1.ª, W60
3.ª, Maria Peixoto, 1967 (C Spiridon Gaia), 18.12,45 - 1.ª, W50
4.ª, Teresa Mendes, 1964 (C Veteranos Coimbra), 19.18,08 - 2.ª, W50
5.ª, Helena Rodrigues, 1960 (CA Tunes), 19.34,78 - 1.ª, W55
6.ª, Manuela Silva, 1965 (CF Oliveira do Douro), 22.59,81 - 3.ª, W50
7.ª, Carolina Ribeiro, 1958 (SSTS João da Madeira), 23.04,74 - 2.ª, W55
8.ª, Maria Henriques, 1958 (GDP Chão Duro), 23.05,80 - 3.ª, W55
9.ª, Teresa Medeiros, 1960 (GDS Domingos), 23.15,43 - 4.ª, W55

3.000 m masculinos - M35 a M50
1.º, Pedro Martins, 1968 (CA Seia), 12.54,84 - 1.º, M45
2.º, Augusto Cardoso, 1970 (ACRS Desterro), 13.00,69 - 2.º, M45
3.º, Jaime Santos, 1972 (GRECAS Vagos), 13.57,02 - 1.º, M40
4.º, Manuel Marques, 1978 (CF Oliveira do Douro), 14.17,00 - 1.º, M35
5.º, Luís Sousa, 1974 (SU Operária Vais), 14.27,02 - 2.º, M40
6.º, Luís Bidarra, 1971 (CA Seia), 14.38,80 - 3.º, M45
7.º, Henrique Santos, 1965 (GD Diana), 14.59,57 - 1.º, M50
8.º, Ricardo Santos, 1975 (GDP Chão Duro), 15.02,44 - 3.º, M40
9.º, Paulo Cunha, 1969 (GDS Domingos), 15.18,76 - 4.º, M45
10.º, Carlos Paiva, 1969 (CA Galinheiras), 15.35,69 - 5.º, M45
11.º, Paulo Ramos, 1969 (CA Galinheiras), 16.17,57 - 6.º, M45
12.º, Hélder Ribeiro, 1976 (ACS João da Serra), 17.15,64 - 4.º, M40
13.º, Carlos Ferreira, 1962 (Escola Movimento), 18.01,68 - 2.º, M50

3.000 m masculinos - M55 a M80
1.º, Francisco Reis, 1960 (Gira Sol), 14.16,72 - 1.º, M55
2.º, José Magalhães, 1954 (AC Alfenense), 15.13,49 - 1.º, M60
3.º, João Rodrigues, 1959 (CA Tunes), 16.57,57 - 2.º, M55
4.º, Carlos Carmino, 1957 (Leiria MA), 17.28,01 - 2.º, M60
5.º, Domingos Pinto, 1959 (CF Oliveira do Douro), 17.31,55 - 3.º, M55
6.º, Joaquim Leitão, 1956 (GDS Domingos), 18.19,63 - 3.º, M60
7.º, Francisco Mimoso, 1957 (CA Galinheiras), 18.34,41 - 4.º, M55
8.º, Gonçalo Rebelo, 1958 (GDS Domingos), 19.54,54 - 5.º, M55
9.º, José Oliveira, 1957 (SF Atouguia Baleia), 21.17,28 - 6.º, M55
10.º, Iurii Polovshchikov, 1942 (CF Belenenses/Rússia), 24.50,75 - 1.º, M70
11.º, Vasco Mendes, 1936 (Linda-a-Pastora SC), 25.20,84 - 1.º, M80

quarta-feira, 22 de março de 2017

As mulheres mandaram nos campeonatos em Hamilton, Nova Zelândia

Erin Taylor-Talcott no comando, seguida por Laura Langley e
Rozie Robinson, e o pódio feminino na prova de pista.
Fotos: Alisha Lovrich Photography and Design e Jim Leppik
Montagem: O Marchador
É caso para dizer que em Hamilton, na Nova Zelândia, as mulheres impuseram a sua superioridade nas provas de marcha dos campeonatos nacionais de atletismo disputados de 17 a 19 de Março, nos 3.000 metros em pista (dia 17) no estádio Porritt, e nos 20 km em estrada (dia 19).

Nos 3.000 metros femininos, Laura Langley, de 20 anos, representando o Hawkes Bay Gisborne, venceu com 13.36,76, seguida de Rozie Robinson, do Canterbury (13.59,29) e da M35 dos Estados Unidos da América, Erin Taylor-Talcott, que em Maio próximo completará 39 anos de idade. Nos masculinos, o australiano David Smyth foi o primeiro, com 15.47,28.

Nos 20 km femininos, Erin Taylor-Talcott mostrou evidente superioridade, vencendo com um novo recorde pessoal de 1.39.53, baixando pela primeira vez da 1 hora e 40 minutos. Nesta distância inverteram-se as classificações da prova mais curta em pista, com Rozie Robinson a conquistar o título nacional, com 1.43.23, recorde pessoal. O pódio feminino dos campeonatos ficou preenchido com Laura Langley (1.48.58 em estreia) e a veterana W50 Corinne Smith (Northland, 1.54.19) que bateu o recorde nacional da categoria. Nos masculinos, o título ficou na posse de Graeme Jones (M40, Hawkes Bay Gisborne, 1.41.42).

Resultados completos e globais dos campeonatos, aqui.

Em Lugano, Virbalyte convence e Wright surpreende

Os triunfos de Brigita Virbalyte e de Alex Wright, e cerimónias
de premiação. Fotos: Jérôme Genet. Montagem: O Marchador
No desejado regresso de Lugano, na Suíça, aos eventos internacionais de marcha (interrompeu em 2016), a lituana Brigita Virbalyte, com 1.32.17, e o irlandês Alex Wright, com 1.21.19, recorde pessoal, triunfaram nas principais provas de 20 km (19 de Março).

Nos femininos, Virbalyte assumiu desde o primeiro quilómetro o comando da sua prova, beneficiando da companhia da jovem chinesa Ma Zhenxia (campeã do mundo sub-18 em 2015 e sub20 em 2016), a disputar os 10 km sub-20, distância esta que abordaremos mais adiante. Aos 5 km 9 segundos separavam a lituana da mais próxima perseguidora, a checa Anezka Drahotova (23.05). Na primeira metade, o avanço aumentou para 39 segundos, agora sobre a eslovaca Mária Czaková (46.27), e aos 15 km quase atingia 1 minuto (56 segundos). No final a diferença fixou-se em 1 minuto e 6 segundos, com parciais de Virbalyte em cada 5 km de 22.56, 22.52, 23.10 e 23.19. Czaková seria a segunda classificada na meta, com 1.33.26, posição que tinha assumido a partir do sexto quilómetro. Drahotova, que bem tentou segurar um lugar nas três primeiras (foi 4.ª com 1.34.19), foi superada pela polaca Katarzyna Golba, terceira com 1.34.16. Terminaram 10 atletas.

Nos masculinos, Alex Wright, durante 9 km na companhia do espanhol Ángel López e do tunisino Hassanine Sebei, esperou até metade da prova (10 km em 40.41) para alcançar o, até então, líder isolado, o inglês Tom Bosworth. Aos 14 km ficavam já definidos os dois primeiros lugares com vantagem para Wright, que se revelaria um vencedor surpresa, com um novo recorde pessoal por 37 segundos (antes, 1.21.56 na Corunha-2016) e parciais em cada 5 km de 20.20, 20.21, 20.23 e 20.15 (40.41 + 40.38). Bosworth obtinha 1.21.53, à frente do campeão do mundo-2015 e da Europa-2014, Ángel López, que o chegou a alcançar aos 18 km mas que se quedaria pelo terceiro lugar, com 1.22.01.

A participação portuguesa no evento teve em Hélder Santos o 16.º classificado, com 1.29.11, recorde pessoal pela primeira vez abaixo da 1 hora e 30 minutos e mínimos para os europeus de sub-23 (1.30.00), e João Martins, o 19.º, com 1.34.51.

Nos sub-20, Ma Zhenxia venceu de forma folgada a prova feminina de 10 km, com 45.28 e parciais em cada 5 km de 22.56 e 22.32 (último quilómetro em 4.24), à frente da alemã Teresa Zurek (46.26) e da sua compatriota Xueying Bai (47.57). Nos masculinos, em igual distância, nova vitória da China, com Yao Zhang a obter 41.14, sendo seguido pelo alemão Leo Kopp (41.29) e, mais distante, pelo grego Georgios Tzatzimakis (43.20).

Classificações
20 km masculinos
1.º, Alex Wright (Irlanda), 1.21.19
2.º, Tom Bosworth (Grã-Bretanha), 1.21.53
3.º, Miguel Angel Lopez (Espanha), 1.22.01
4.º, Yu Wei (China), 1.22.22
5.º, Marius Ziukas (Lituânia), 1.22.27
6.º, Hassanine Sebei (Tunísia), 1.22.55
7.º, Nazar Kovalenko (Ucrânia), 1.23.37
8.º, Callum Wilkinson (Grã-Bretanha), 1.23.47
9.º, Erick Barrondo (Guatemala), 1.24.51
10.º, Ivan Losev (Ucrânia), 1.25.32
11.º, Brendan Boyce (Irlanda), 1.25.35
12.º, Cian Mcmanamon (Irlanda), 1.25.51
13.º, Brandon Bernardo Segura Zepeda (México), 1.26.38
14.º, Jakub Jelonek (Polónia), 1.27.59
15.º, Andreas Janker (Alemanha), 1.28.40
16.º, Hélder Santos (Portugal), 1.29.11
17.º, Vít Hlavác (República Checa), 1.30.48
18.º, Cameron Corbishley (Grã-Bretanha), 1.31.20
19.º, João Martins (Portugal), 1.34.51
20.º, Rick Liesting (Holanda), 1.34.52
21.º, Edison Pumacuro (Equador), 1.43.03
22.º, Quentin Macabrey (Suíça), 1.43.39
23.º, Remco De Bruin (Holanda), 1.44.05
24.º, Dale Farquhar (Grã-Bretanha), 1.52.33
Desclassificados: Josef Smola (República Checa) e Stefano Chiesa (Itália).
Desistente: David Tomala (Polónia), Michal Morvay (Eslováquia) e Lukas Gdula (República Checa).

20 km femininos
1.ª, Brigita Virbalyte (Lituânia), 1.32.17
2.ª, Mária Czaková (Eslováquia), 1.33.26
3.ª, Katarzyna Golba (Polónia), 1.34.16
4.ª, Anezka Drahotova (República Checa), 1.34.19
5.ª, Emilia Lehmeyer (Alemanha), 1.35.29
6.ª, Mirna Ortiz (Guatemala), 1.35.47
7.ª, Anel Oosthuizen (África do Sul), 1.36.50
8.ª, Gemma Bridge (Grã-Bretanha), 1.37.36
9.ª, Heather Lewis (Grã-Bretanha), 1.37.39
10.ª, Laura Polli (Suíça), 1.39.11
Desclassificadas: Andrea Kovacs (Hungria) e Bethan Davies (Grã-Bretanha).
Desistente: Saskia Feige (Alemanha).

10 km sub-20 masculinos
1.º, Yao Zhang (China), 41.14
2.º, Leo Köpp (Alemanha), 41.29
3.º, Georgios Tzatzimakis (Grécia), 43.20
4.º, Gen Hu (China), 44.26
5.º, Christopher Snook (Grã-Bretanha), 45.36
6.º, Niklas Richter (Alemanha), 46.00
7.º, Daniel Kovac (Eslováquia), 46.34
8.º, Jakob Schmidt (Alemanha), 46.48
9.º, Tom Partington (Grã-Bretanha), 46.50
10.º, Johannes Frenzl (Alemanha), 49.24
11.º, Xin Liu (China), 49.24
Desclassificados: Robert Zurek (Alemanha) e Nathan Bonzon (Suíça).

10 km sub-20 femininos
1.ª, Ma Zhenxia (China), 45.28
2.ª, Teresa Zurek (Alemanha), 46.26
3.ª, Xueying Bai (China), 47.57
4.ª, Julia Richter (Alemanha), 48.13
5.ª, Rongrong Sun (China), 50.01
6.ª, Ana Garcia (Grã-Bretanha), 52.31
7.ª, Molly Davey (Grã-Bretanha), 52.59
8.ª, Camilla Crivellaro (Itália), 56.34

Colaboração nos resultados: Stefano La Sorda.

terça-feira, 21 de março de 2017

Jovens de Chihuahua em destaque nas provas de Sub-20 de Monterrey

A partida masculina, o pódio dessa prova e a frente feminina.
Fotos: INDE Nuevo León. Montagem: O Marchador
No Challenge Mundial de Marcha que teve lugar neste fim-de-semana em Monterrey também houve lugar à realização de provas de 10 km marcha para o escalão Sub-20 o que é habitual neste tipo de eventos.

Na prova masculina, Federico González, da cidade de Cuahtémoc (Chihuahua) saiu vitorioso com o tempo de 42.31, seguido de Ángel Colunga com 43.37 e de Jefferson Segura com 44.04.

Na prova feminina, outra atleta do Estado de Chihuahua triunfou, no caso a jovem Alegna Ariday González, que já havia vencido e batido o recorde nacional da categoria em Ciudad Juárez, agora fazendo a marca de 45.43. O segundo lugar da prova foi para Valeria Ortuño Martínez, da Cidade do México, com o tempo de 45.52, completando o pódio Ileana Mercedes García com 46.23.

Muito feliz pela sua segunda vitória consecutiva Alegna, que há 4 anos começou na marcha por influência de uns tios que são responsáveis pela atividade num clube de Chihuahua, disse: “impus o meu ritmo e assim me mantive até final conseguindo a marca para a Copa Pan-americana, no Perú. Já tinha ganho os 5 km da Olimpíada Nacional (correspondente aos nossos campeonatos nacionais) e agora sigo com a preparação para Lima”.

Classificações
10 km sub-20 femininos
1.ª, Alegna A. González Munoz (México), 45.43
2.ª, Valeria Ortuño Martínez (México), 45.52
3.ª, Ileana Mercedes García (México), 46.23
4.ª, Vivian Castillo (México), 48.41
5.ª, Evelyn Igna (Perú), 48.56
6.ª, Leyde Guerra (Perú), 48.58
7.ª, Rocío Sánchez Gaytán (IPN), 54.56
8.ª, Griseida Pimentel (México), 55.10
9.ª, Andrea Flores Moscos (México), 55.24
10.ª, Horacio Olivares Ruiz (IPN), 56.13
(...)

10 km sub-20 masculinos
1.º, Federico González (México), 42.31
2.º, Ángel Colunga Rodríguez (México), 43.37
3.º, Jefferson Segura Cepeda (México), 44.04
4.º, Víctor M. Vega Ortiz (México), 44.51
5.º, Saúl Mena Gómez (México), 45.01
6.º, Jan Banda Valdez (México), 45.34
7.º, Carlos Mercenario (México), 46.36
8.º, Alger Liang (Canadá), 46.47
9.º, Omar Foarita Darwin (Bolívia), 47.09
10.º, Johnatan Esquivel Valenzuela (México), 47.43
(...)

Kim Hyun-Sub e Wang Na em destaque nos 20 km dos Campeonatos da Ásia (Nomi)

Os pódios dos campeonatos da Ásia e uma fase da prova feminina.
Fotos: Daigo Asada/AAA. Montagem: O Marchador
O sul-coreano Kim Hyun-Sub e a chinesa Wang Na estiveram em plano de evidência nos Campeonatos da Ásia de 20 km marcha que tiveram lugar este domingo (19) em Nomi, no Japão, obtendo os títulos da especialidade num evento que se realizou num circuito de 2 km, totalmente plano e disputado sob agradáveis condições atmosféricas.

Na prova masculina, Kim Hyun-Sub, de 31 anos de idade, obteve o seu terceiro título nestes campeonatos vencendo com o tempo de 1.19.50, a sexta melhor marca de sempre para este atleta que obteve a medalha de bronze nos campeonatos mundiais de atletismo de 2011. A medalha de bronze foi alcançada por Georgiy Sheiko, do Casaquistão, com o tempo de 1.20.47, melhorando significativamente o seu recorde pessoal que era de 1.21.34, e a de bronze por Irfan Thodi, da India, com 1.20.59 (é o recordista do seu país com 1.20.21, desde os Jogos Olímpicos de Londres). Foram 126 os atletas participantes.

Na prova feminina, foi sem surpresa que a chinesa Wang Na (medalha de prata nos mundiais de juniores de 2014) arrecadou a medalha de ouro obtendo o tempo de 1.30.51. A japonesa Kumiko Okada (medalha de prata nos mundiais de juniores de 2010) foi segunda com 1.33.31 e a sul-coreana Yeongeun Jeon foi terceira com 1.34.35. Foram 54 as atletas participantes.

A competição integra o challenge mundial de marcha da federação internacional de atletismo.

Simultaneamente tiveram lugar os campeonatos japoneses com a vitória, na prova masculina, de Daisuke Matsunaga com a marca de 1.19.40 (19.24/19.54/20.07/20.15) e garantir, desde já, o passaporte para os mundiais de Londres em agosto deste ano. Segunda posição para Tomohiro Noda (1.20.04) e o terceiro lugar para Tajumi Saito (1.20.56). Na prova feminina, Chiaki Asada (1.32.12), Yuki Yoshizumi (1.32.23) e Kaori Kawazoe (1.33.09) subiram ao pódio.

Também foram designados os três representantes masculinos nipónicos para as Universíadas, este ano em Taipé: Tomohiro Noda (1.20.04), Fumitaka Oikawa (1.21.08) e Toshikazu (1.21.23).

Colaboração: Tomoya Ishii

Classificações
20 km masculinos - geral Camp. Ásia + Japão
1.º, Daisuke Matsunaga, 1995 (Japão), 1.19.40
2.º, Hyun-Sub Kim, 1985 (Coreia do Sul), 1.19.50
3.º, Tomohiro Noda, 1995 (Japão), 1.20.04
4.º, Georgiy Sheiko, 1989 (Casaquistão), 1.20.47
5.º, Takumi Saito, 1993 (Japão), 1.20.56
6.º, Irfan K.T., 1990 (Índia), 1.20.59
7.º, Fumitaka Oikawa, 1995 (Japão), 1.21.08
8.º, Toshikazu Yamanishi, 1996 (Japão), 1.21.23
9.º, Devender Singh, 1983 (Índia), 1.21.38
10.º, Yuga Yamashita, 1996 (Japão), 1.21.58
11.º, Kouki Ikeda (Japão), 1.22.43
12.º, Yuki Kurumisawa, 1995 (Japão), 1.22.50
13.º, Dae-Ho Kim (Coreia do Sul), 1.23.49
14.º, Masatora Kawano, 1998 (Japão), 1.23.51
15.º, K. Ganapathi, 1989 (Índia), 1.24.18
16.º, Wanxin Zhang, 1996 (China), 1.24.30
17.º, Hironari Tomatsu, 1993 (Japão), 1.24.33
18.º, Ryosuke Kawagishi, 1996 (Japão), 1.24.43
19.º, Sunil Krishan, 1997 (Índia), 1.24.53
20.º, Toru Yamamoto, 1990 (Japão), 1.25.08
(…) 117 chegados (5 desistentes e 4 desclassificados)

20 km femininos - geral Camp. Ásia + Japão
1.ª, Na Wang, 1995 (China), 1.30.51
2.ª, Chiaki Asada, 1991 (Japão), 1.32.12
3.ª, Yuki Yoshizumi, 1997 (Japão), 1.32.23
4.ª, Kaori Kawazoe, 1995 (Japão), 1.33.09
5.ª, Kumiko Okada, 1991 (Japão), 1.33.21
6.ª, Peili Yang, 1994 (China), 1.34.18
7.ª, Yong-Eun Jeon, 1988 (Coreia do Sul), 1.34.35
8.ª, Regina Rykova, 1991 (Casaquistão), 1.35.45
9.ª, Masumi Fuchise, 1986 (Japão), 1.36.50
10.ª, Priyanka Dubey, 1996 (Índia), 1.37.42
11.ª, Mizoguchi Yukiho, 1997 (Japão), 1.37.52
12.ª, Da-Seul Lee, 1996 (Coreia do Sul), 1.38.34
13.ª, Siu Nga, 1987 (Hong Kong, China), 1.38.35
14.ª, Nami Kumagai, 1996 (Japão), 1.38.50
15.ª, Diana Aydossova, 1995 (Casaquistão), 1.39.00
16.ª, Serena Sonoda, 1998 (Japão), 1.39.00
17.ª, Chiaki Yamato, 1990 (Japão), 1.39.40
18.ª, Polina Repina, 1990 (Casaquistão), 1.39.50
19.ª, Akane Tamaki, 2000 (Japão), 2.39.53
20.ª, Sayori Matsumoto, 1997 (Japão), 1.40.05
(…) 47 chegados (4 desistentes e 3 desclassificadas)