domingo, 28 de maio de 2017

Melville e Corvera vencem campeonatos dos E.U.A. de 15 km

Corvera (205), Gustafsson (214), Christie (222), Burnett (223)
Melville (225) e Stevens (211) em Riverside.
Fotos: Eduardo Corvera e Cynthia de la Cruz
Montagem: O Marchador
A olímpica Miranda Melville, atleta de Chula Vista, e Emmanuel Corvera, de San Diego, ambos a representarem o New York Athletic, sagraram-se campeões nacionais de 15 km por ocasião dos campeonatos realizados domingo passado (21 de Maio) em Fairmount Parkem, Riverside, no estado norte-americano da Califórnia.

Nos femininos, Melville obteve a marca de 1.15.20, distanciando na meta 35 segundos de Katie Burnett, a segunda classificada (1.15.55), sendo terceira Robyn Stevens (Wolfpack Running, 1.17.31). Susan Armenta, W40 (ARC Run Club) foi a primeira veterana absoluta (1.30.58).

Nos masculinos, Corvera, foi um folgado vencedor com a marca de 1.05.59. O pódio ficou completo com Nick Christie (San Diego Pole Vault, 1.09.22) e Matt Forgues (Maine Racewalkers, 1.10.45). Allen James (M50) foi o melhor veterano (1.14.27) numa prova que contou com o regresso de Andreas Gustafsson (desclassificado), cumpridos que foram, em 19 de Março deste ano, 2 anos de suspensão por dopagem (AAF – EPO).

Classificações
15 km femininos
1.ª, Miranda Melville, 28 anos (New York Athletic Club), 1.15.20
2.ª, Katie Burnett, 28 (-), 1.15.55
3.ª, Robyn Stevens, 34 (Wolfpack Running), 1.17.31
4.ª, Molly Josephs, 23 (Walk USA), 1.26.47
5.ª, Susan Armenta, 43 (ARC Run Club), 1.30.58
6.ª, Jamie Fiddler, 27 (ARC Run Club), 1.37.00
7.ª, Susan Mears, 62 (Sierra Racewalkers), 1.44.30
8.ª, Paula Rasmussen, 62 (So Cal Track Club), 1.56.24
9.ª, Darlene Backlund, 71 (So Cal Track Club), 1.58.51
10.ª, Carol Dyar, 76 (-), 1.59.50
11.ª, Kay Carmines, 71 (So Cal Track Club), 2.00.22
12.ª, Sheila Kryger, 72 (Pilgrim Pacers), 2.09.50
Desistentes: Marianne Martino, 66 (High Altitude Racewalking Team) e Jenny Dean, 65 (Inland Empire Racewalkers).
Desclassificadas: Donna Dawson, 66 (-), Yvette Lavigne, 77 (So Cal Track Club), Elizabeth Shepard, 52 (High Altitude Racewalking Team), Anelise Smith, 78 (-) e Karen Stoyanowski, 62 (Sierra Racewalkers).

15 km masculinos
1.º, Emmanuel Corvera, 24 anos (New York Athletic Club), 1.05.59
2.º, Nick Christie, 25 (San Diego Pole Vault), 1.09.22
3.º, Matt Forgues, 25 (Maine Racewalkers), 1.10.45
4.º, Alexander Bellavance, 19 (-), 1.11.07
5.º, Allen James, 53 (-), 1.14.27
6.º, Mark Green, 61 (Pegasus Athletic Club), 1.28.59
7.º, Adrian Zamudio, 41 (Pegasus Athletic Club), 1.31.34
8.º, Paul DeMeester, 57 (-), 1.34.00
9.º, Tommy Aunan, 58 (Pegasus Athletic Club), 1.34.20
10.º, Gerard Deegan, 49 (ARC Run Club), 1.41.11
11.º, Art Morrow, 52 (So Cal Track Club), 1.45.05
12.º, Deo Jaravata, 52 (-), 1.45.52
13.º, Rick Campbell, 71 (So Cal Track Club), 1.48.36
14.º, George Papacalos, 57 (So Cal Track Club), 2.05.15
Desistente: Michael Blanchard, 55 (Pegasus Athletic Club).
Desclassificados: Andreas Gustafsson, 35 (-) e Paul Lawson, 70 (Pilgrim Pacers).

sábado, 27 de maio de 2017

Grande Prémio de Zhengzhou, China (resultados)

Imagens das provas em Zhengzhou. Fotos: Sports Sohu
Montagem: O Marchador
O tradicional Grande Prémio de Zhengzhou, capital da província de Henan e com uma população estimada de perto de 10 milhões de pessoas, teve lugar no passado fim-de- semana passado e registou a presença, nas principais provas do programa (20 km) de 94 marchadores no setor masculino (os 30 primeiros com marcas abaixo da uma hora e trinta) e de 57 atletas no setor feminino (as 15 primeiras com resultados abaixo da uma hora e 40 minutos), isto apesar da elevada temperatura que se fazia sentir, com os termómetros a atingirem os 34 graus Celsius.

Nos 20 km masculinos, Wang Qin impôs se à concorrência terminando vitorioso com a marca de 1.24.20, ocupando as restantes posições do pódio, Jun Xiangqian, com 1.24.44, e Wang Kaihua, com 1.24.52. Quin tem um recorde pessoal de 1.22.08, tempo conseguido no ano passado em Nomi, no Japão, por ocasião dos campeonatos asiáticos de marcha atlética. Nos 50 km o seu recorde pessoal está cifrado em 3.50.16, marca que obteve em Huangshan (China), a 6 de março do ano passado.

Nos 20 km femininos, o destaque vai para a jovem Yang Jiayu, de 21 anos de idade, que realizou o melhor tempo da jornada com 1.32.09, seguido de Ni Yuanyuan, com 1.32.33, e de Hou Yongbo, com 1.32.55. A vencedora, sétima nos mundiais de nações, disputado em Roma, no ano passado, tem um expressivo recorde pessoal de 1.26.35, tempo obtido em Huangshan, a 4 de março deste ano.

Nas provas de sub-20, sobre 10 km, Xu Hao, com 42.17, impos-se nos masculinos, enquanto Wang Qiong vencia nos femininos, com 46.58, a mesma marca da segunda classificada, Qiji Zhuoma. Nos sub-18, também sobre 10 km, venceram Zhang Jiaxu (43.56) e Ma Li (46.34), respectivamente em masculinos e femininos, com Li a fazer melhor que as suas concorrentes do escalão superior.

Para os mundiais de Londres e focando, agora, apenas no panorama feminino, as três atletas chinesas a selecionar serão sempre muito fortes, antevendo-se que, apresentem quem apresentarem, comparecerão sempre com marcas abaixo da uma hora e vinte e sete minutos. Comparativamente ao Rio de Janeiro, há que dizer que duas das suas representantes nos Jogos Olímpicos, Liu Hong (campeã olímpica) e Qieyang Shnjie (5 classificada), estarão ausentes dos mundiais, ambas a preparar a maternidade e a primeira também a concluir os seus estudos universitários. A vice-campeã olímpica, Lu Xiuzhi estará certamente em Londres, onde defrontará outras atletas com ambições de pódio como serão, seguramente, a mexicana María Guadalupe González (vice-campeã olímpica), a italiana Antonella Palmisano (vencedora da Taça da Europa) e a portuguesa Ana Cabecinha (segunda classificada na Taça da Europa).

Principais classificações
20 km masculinos
1.º, Wang Qin (1994), 1.24.20
2.º, Jin Xiangqian (1997), 1.24.44
3.º, Wang Kaihua (1994), 1.24.52
4.º, Xu Faguang (1987), 1.25.31
5.º, Yin Jiaxing (1994), 1.25.56
6.º, Wang Libo (1997), 1.26.01
7.º, Li Shijia (1992), 1.26.07
8.º, Yang Liang (1993), 1.26.33
9.º, Han Yucheng (1978), 1.27.01
10.º, Ma Youshan (1995), 1.27.17
(…)

20 km femininos
1.ª, Yang Jiayu (1996), 1.32.09
2.ª, Ni Yuanyuan (1995), 1.32.33
3.ª, Hou Yongbo (1994), 1.32.55
4.ª, Liang Rui (1994), 1.33.05
5.ª, Gao Ni (1991), 1.33.38
6.ª, Yang Peili (1994), 1.33.56
7.ª, Yin Hang (1997), 1.34.34
8.ª, Li Leilei (1989), 1.35.52
9.ª, Xie Lijuan (1993), 1.36.42
10.ª, Duan Dandan (1995), 1.36.43
(…)

10 km sub-20 masculinos
1.º, Xu Hao (1999), 42.17
2.º, Cao Wenlong (1998), 42.22
3.º, Zhang Jun (1998), 42.41
4.º, Du Yucheng (1999), 42.50
5.º, Bai Liga (1998), 42.51
6.º, Yu Yongcai (1998), 42.56
7.º, Li Jihuan (1998), 43.02
8.º, Gong Fanglong (1998), 43.04
9.º, Li Yuan (1999), 43.10
10.º, Guo Shuqi (1998), 43.11
(…)

10 km sub-20 femininos
1.ª, Wang Qiong (1998), 46.58
2.ª, Qiji Zhuoma (1998), 46.58
3.ª, Xiao Han (1998), 47.52
4.ª, Su Wenxiu (1998), 48.01
5.ª, Ni Jie (1999), 48.37
6.ª, Bai Tiantian (1998), 49.13
7.ª, Hu Lanlan (1999), 49.25
8.ª, Xue Ke (1998), 49.32
9.ª, Chang Xiangkun (1998), 49.37
10.ª, Guo Nuo (1999), 50.17
(…)

10 km sub-18 masculinos
1.º, Zhang Jiaxu (2000), 43.56
2.º, Yin Jun (2000), 44.41
3.º, Xing Xiaolong (2000), 45.21
4.º, Gao Xianglong (-), 45.36
5.º, Zhu Xiaoqiang (2000), 45.48
6.º, Hu Yunjiang (2000), 45.54
7.º, Luo Guoqing (2000), 46.42
8.º, Qiong Da (2000), 46.55
9.º, Chen Weihao (2001), 46.59
10.º, Hu Gen (2001), 47.07
(…)

10 km sub-18 femininos
1.ª, Ma Li (2000), 46.34
2.ª, Wu Quanming (-), 48.01
3.ª, Xi Ricuo (2001), 48.39
4.ª, Zhang Yanna (2001), 51.01
5.ª, Han Xiaying (2000), 52.15
6.ª, Pengmao Chuoma (-), 52.35
7.ª, Sun Rongrong (2000), 53.29
8.ª, Zhaxi Danzhen (2001), 54.35
9.ª, Liu Xingsi (2000), 54.53
10.ª, Hu Zhen (2001), 55.14
(…)

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Clubes disputam este fim-de-semana vagas nas I e II e III Divisões

Montagem: O Marchador
A fase de apuramento do Campeonato Nacional de Clubes, em pista ao ar livre, terá lugar em Guimarães (16 equipas masculinas e 15 femininas), Fátima (19/15), Vendas Novas (21/15) e Ribeira Grande (5/7), com a participação global de 61 equipas masculinas e de 52 equipas femininas.

A pontuação global a apurar, obtida pelos clubes nas três zonas, determinará o acesso à I Divisão (os 7 primeiros clubes classificados), II Divisão (do 8.º ao 15.º lugar), a realizar nos dias 27 e 28 deste mês, em Lisboa, e à III Divisão (do 16.º ao 23.º lugar), também na mesma data mas em lugar a definir oportunamente.

Quanto às provas de marcha, terão lugar às 17:30 horas em Guimarães, Fátima e Vendas Novas (5.000 metros masculinos (pistas 1 a 4) e os 3.000 metros femininos (pistas 5 a 8), enquanto que na Ribeira Brava os marchadores terão o tiro de partida às 17:35 horas, estando definido que para pontuarem os atletas deverão realizar 29 minutos ou menos na prova masculina e 19 minutos ou abaixo desta marca na prova feminina, sendo permitido apenas um atleta por prova.

O Sporting Clube de Portugal, no setor feminino, e o Sport Lisboa e Benfica, no setor masculino, estão isentos de participarem nesta fase, dado serem os campeões em título.

Mais informações no «site» da FPA, aqui.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Taça da Europa de Podebrady 2017: vídeo dos melhores momentos

Fotos: Comité Organizador Local. Montagem: O Marchador
Muita emoção e momentos inesquecíveis marcaram a 12.ª edição da Taça da Europa de Marcha que decorreu em Podebrady, na República Checa, no domingo passado (21 de Maio), com elevado nível competitivo e organizativo.

Um belo vídeo editado pelo Comité Organizador Local no seu excelente sítio na rede pode ser visto aqui.

Estão igualmente disponíveis vários outros curtos vídeos com entrevistas aos vencedores de cada uma das provas, nomeadamente Leo Kopp, Ivan Banzeruk (e Igor Hlavan, 2.º), Antonella Palmisano, Christopher Linke e Yana Smerdova [aqui].

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Inês Henriques recebeu do CNID o prémio de Atleta do Ano

Inês Henriques e Jorge Vieira, o presidente da FPA.
Foto: Pedro Lemos. Montagem: O Marchador
Inês Henriques, marchadora do Clube de Natação de Rio Maior, treinada por Jorge Miguel, recebeu esta segunda-feira, das mãos de Jorge Vieira, presidente da Federação Portuguesa de Atletismo, o galardão que a distingue como a Melhor Atleta do Ano, numa cerimónia promovida pelo CNID (Associação de Jornalistas de Desporto), que celebrou o seu 51.º aniversário.

Na cerimónia de entrega dos Prémios CNID 2017, que decorreu no Museu do Desporto, nos Restauradores, em Lisboa, Inês Henriques dividiu o prémio com Patrícia Mamona e Nélson Évora (atletismo), Frederico Morais (surf) e Telma Monteiro (judo).

A atleta ribatejana, que treina nas excelentes instalações do Complexo Desportivo de Rio Maior, estabeleceu este ano o recorde mundial dos 50 km marcha femininos, com a marca de 4.08.26 (aguarda homologação pela IAAF), proeza assinalada no decorrer dos Campeonatos de Portugal de 50 km marcha, que a FPA, voltou a colocar, e muito bem, a distância olímpica no calendário masculino (lamentavelmente suspendeu-a em 2016), tendo-a feito disputar agora, em simultâneo e pela primeira vez, também na vertente feminina.

E é sintomático que seja uma associação de jornalistas desportivos a evidenciar o feito de Inês Henriques, precisamente dando o devido destaque à proeza da atleta olímpica, pelo seu êxito numa distância que recentemente suscitou interrogações de algumas entidades a nível internacional, prontamente rebatidas. Como exemplo da dimensão planetária da disciplina, refira-se que nos 50 km marcha (masculinos) dos Jogos do Rio de Janeiro (2016), os quatro primeiros classificados eram provenientes de quatro continentes (Europa, Oceânia, Ásia e América).

Ainda a propósito da cerimónia, e com a devida vénia, transcrevemos uma peça de Luís Filipe Simões, inserida no jornal “A Bola”:

“Inês Henriques, marchadora do CN Rio Maior, recebeu o prémio de Atleta do Ano e aproveitou para dizer que é importante lutar pela igualdade de género, dizendo que a marcha é exemplo da desigualdade, até pelo facto de só nos masculinos haver, até há pouco tempo, provas de 50 km, o que fazia com que a Campeonatos do Mundo e da Europa, bem como a Jogos Olímpicos, fossem seis homens e apenas três mulheres vencedores na disciplina. E foi graças aos 50 km marcha que deu pontapé na discriminação. Não só fez a prova, como bateu recorde mundial e demonstrou que as mulheres a podem fazer e com excelentes marcas, que não é coisa só de homens…”

As nossas felicitações a Inês Henriques!

terça-feira, 23 de maio de 2017

Campeonatos de Atletismo da Ásia para Sub-18

Os campeões sub-18 asiáticos, Sanjay Kumar e Wei Ciao Wu.
Fotos. Comité organizador local. Montagem: O Marchador
Tiveram lugar este fim-de-semana, em Banguecoque, na Tailândia, os 2.os Campeonatos da Ásia de Jovens (Sub-18), disputados no Estádio Nacional da capital sob elevadas temperaturas.

Os 5.000 metros marcha femininos foram ganhos por Wei Ciao Wu, da China Taipé (conhecida também por Taiwan ou Formosa), que impôs a sua superioridade, triunfando com a marca de 25.41,36. Terminaram nas duas posições seguintes do pódio as atletas chinesas, Xiaomin Zhou, com 26.04,42, e Wenjing Gao, com 26.53,61. 7 atletas concluíram a prova. O recorde asiático na categoria permanece na posse da chinesa Zhenxia Ma, com 23.45,19, tempo estabelecido na primeira edição do evento (2015), em Doha, no Catar.

Nos 10.000 metros marcha masculinos, com a participação de 14 atletas (o dobro da prova feminina), a medalha de ouro foi conseguida por Sanjay Kumar, da Índia, com 45.30,39, obtendo a de prata o atleta japonês, Masaru Suzuki, com 45.47,41, e a de bronze, o atleta chinês, Yao Zhang, com 46.12,58.

Na contabilização de medalhas a China liderou com um total de 30 (16 de ouro, 9 de prata e 4 de bronze), seguida da China Taipé com 15 (6, 7, 2) e da India, com 14 (5,5,4).

Classificações
5.000 m femininos
1.ª, Wei Ciao Wu, 2001 (China Taié), 25.41,36
2.ª, Xiaomin Zhou, 2001 (China), 26.04,42
3.ª, Wenjing Gao, 2001 (China), 26.53,61
4.ª, Nurul Alyahaziqah Kamarazaman, 2000 (Malásia), 27.02,65
5.ª, Uiji Jeong, 2000 (Coreia do Sul), 27.21,64
6.ª, Kotchaphon Tangsrivong, 2000 (Tailândia), 28.59,92
7.ª, Phitsamai Charoensamathi, 2001 (Tailândia), 31.18,37

10,000 m masculinos
1.º, Sanjay Kumar, 2001 (Índia), 45.30,39
2.º, Masaru Suzuki, 2000 (Japão), 45.47,41
3.º, Yao Zhang, 2000 (China), 46.12,58
4.º, Ryo Hamanishi, 2000 (Japão), 48.00,69
5.º, Hao Gong, 2000 (China), 49.50,21
6.º, Wei Jui Chang, 2000 (China Taipé), 50.27,22
7.º, Wichian Muepoku, 2000 (Tailândia), 52.37,30
8.º, Jun Wei Sia, 2000 (Singapura), 54.18,87
9.º, Zuo Sheng Yeo (Singapura), 55.25,55
10.º, Ahmed Wirya Jabbar, 2000 (Iraque), 1.02.06,28
Desistentes: Suraj Panwar, 2001 (Índia) e Surachat Thaesi, 2000 (Tailândia).
Desclassificados: Dongmin Im, 2000 (Coreia do Sul), e Armin Shahmaleki, 2000 (Irão).

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Smerdova e Espanha impõem-se nas juniores em Podebrady

Yana Smerdova corta a meta, vencendo os 10 km juniores
femininos da Taça da Europa de Marcha de Podebrady
A atleta neutra de nacionalidade russa Yana Smerdova venceu esta tarde a prova de 10 km juniores femininos da Taça da Europa de Marcha Atlética, em Podebrady (Rep. Checa), impondo-se na parte final da competição e terminando com um novo recorde pessoal de 46.39 m. Numa prova com emoção até final, o pódio foi completado pela turca Meryem Bekmez (46.48) e pela alemã Teresa Zurek (46.51), ambas também com novos máximos pessoais, o que de resto sucedeu com quase todas as atletas classificadas. Com um desempenho de grande nível, as portuguesas Inês Reis e Carolina Costa chegaram nas oitava e décima posições, assegurando o quarto lugar para a formação portuguesa, atrás da Espanha, da Grécia e da Alemanha.

A prova teve ainda numa fase inicial a formação de um quarteto na frente, com Zurek, Bekmez, Smerdova e a finlandesa Enni Nurmi, mas a escandinava acabaria por ceder perto dos quatro quilómetros, entrando em queda livre na classificação. A meio da prova, o pódio estava definido, passando o trio da frente com 23.38 m. Nessa fase, as duas portuguesas estavam a par do trio de espanholas num bloco colectivo seguido de outro bloco, o grego, todas na perseguição às da liderança, a 35 segundos de distância.

No sexto quilómetro, portuguesas, espanholas e gregas estavam já juntas, alcançando e passando Nurmi e assumindo a luta pela vitória colectiva. No entanto, as espanholas, lideradas por Marina Peña, e as gregas, rebocadas por Sofia Alikonioti, revelaram-se mais capazes que Inês Reis e Carolina Costa, que acabaram por ceder e perder o comboio das colegas de pugna.

Só na fase final a prova veio a ter novos desenvolvimentos, com Yana Smerdova, sempre a mais discreta do grupo da frente, a desferir um ataque poderoso à entrada para a última volta e a ganhar a vantagem necessária para assegurar o primeiro lugar. Claramente surpreendidas pela determinação da russa, Zurek e Bekmez ficaram incapazes de responder, vindo a turca a impor-se no «sprint» final para garantir o segundo posto.

Fora do pódio, Peña impôs-se a Alikanioti na luta pelo quarto lugar, o mesmo fazendo Irene Montejo com Dimitra Bohóri, reservando para a Espanha a medalha de ouro colectiva. A Grécia ficou em segundo lugar, enquanto a Alemanha, beneficiando do terceiro posto de Zurek, conseguia o terceiro lugar, adiante de Portugal.

Classificação
10 km juniores femininos
1.ª, Yana Smerdova (neutra), 46.39
2.ª, Meryem Bekmez (Turquia), 46.48
3.ª, Teresa Zurek (Alemanha), 46.51
4.ª, Marina Peña (Espanha), 48.02
5.ª, Sofia Alikanioti (Grécia), 48.16
6.ª, Irene Montejo (Espanha), 48.35
7.ª, Dimitra Bohóri(Grécia), 48.45
8.ª, Inês Reis (Portugal), 48.48
9.ª, Antia Chamosa (Espanha), 48.52
10.ª, Carolina Costa (Portugal), 49.15

Por equipas
1.ª, Espanha, 10 pontos
2.ª, Grécia, 12
3.ª, Alemanha, 14
4.ª, Portugal, 18

Resultados completos aqui.

Palmisano insuperável nos 20 km femininos da Taça da Europa

Antonella Palmisano no pódio, com Ana Cabecinha (esq.)
e Laura García-Caro
A italiana Antonella Palmisano protagonizou o domínio mais avassalador entre todas as cinco provas que compuseram o programa oficial da 12.ª Taça da Europa de Marcha, realizada este domingo em Podebrady, na República Checa. A transalpina liderou os 20 km femininos de princípio a fim, concluindo com 1.27.57 h, seguida da portuguesa Ana Cabecinha (1.29.44) e da espanhola Laura García-Caro (1.29.57).

Palmisano assumiu o comando da prova logo após o tiro de partida, acumulando de seguida uma vantagem que deixava clara a intenção ganhadora, assente num ritmo que mais ninguém conseguiu acompanhar. Mais atrás, eram as portuguesas Ana Cabecinha e Inês Henriques, a espanhola Laura García-Caro e as ucranianas Inna Kashyna e Nadiya Borovska quem movia a perseguição, com maior empenho de portuguesas e ucranianas. Um empenho que veio a revelar-se excessivo no caso de Inês Henriques, que, com duas notas de desclassificação, não teve a contenção necessária para salvaguardar a presença em prova e acabou desclassificada, impedindo a formação portuguesa de um muito provável lugar de pódio na classificação colectiva.

Quem beneficiou foi a selecção da Lituânia, que com Brigita Virbalyte-Dimsiene no oitavo lugar, Zivilé Vaiciukevičiūtė no 11.º, Monika Vaiciukevičiūtė no 17.º e Kristina Saltanovic no 30.º, assegurou o bronze por equipas, atrás da Espanha e da Itália.

Para Portugal, para além do já habitual excelente desempenho de Ana Cabecinha, assinale-se o novo recorde pessoal averbado por Mara Ribeiro, que, com 1.35.45 h, concluiu a competição no 18.º lugar, a apenas uma posição do primeiro terço da classificação.

Classificação
20 km femininos
1.ª, Antonella Palmisano (Itália), 1.27.57
2.ª, Ana Cabecinha (Portugal), 1.29.44
3.ª, Laura García-Caro (Espanha), 1.29.57
4.ª, Inna Kashyna (Ucrânia), 1.30.11
5.ª, Nadiya Borovska (Ucrânia), 1.30.25
6.ª, María Pérez (Espanha), 1.30.52
7.ª, Valentina Trapletti (Itália), 1.30.58
8.ª, Brigita Virbalyte-Dimsiene (Lituânia), 1.31.32
9.ª, Lidia Sánchez-Puebla (Espanha), 1.32.09
10.ª, Émilie Menuet (França), 1.32.32
(...)
18.ª, Mara Ribeiro (Portugal), 1.35.45

Por equipas
1.ª, Espanha, 18 pontos
2.ª, Itália, 34
3.ª, Lituânia, 36

Resultados completos aqui.

domingo, 21 de maio de 2017

Christopher Linke vence 20 km de Podebrady

Christopher Linke, cortando a meta em Podebrady
O alemão Christopher Linke venceu esta tarde os 20 km masculinos da Taça da Europa de Marcha de Podebrady, creditando-se com 1.19.29 h, após um verdadeiro exercício de superioridade sobre toda a concorrência. Linke teve no pódio a companhia do espanhol Miguel Ángel López (1.20.21) e do sueco Perseus Karlström (1.20.40), numa prova em que João Vieira foi 14.º (1.22.42) e Miguel Carvalho terminou na 22.ª posição, com um novo recorde pessoal de 1.23.31 h.

A vitória de Christopher Linke começou a desenhar-se aos sete quilómetros de prova, quando o germânico decidiu deixar para trás o grupo de oito atletas que se mantinham na sua companhia desde o início (após descolagens de outros componentes). A meio da prova, Linke passava com 40.04 m, rolando bem abaixo dos quatro minutos por quilómetro. Daí para a frente, limitou-se a acumular vantagem, que só teve de gerir na parte final.

A luta pelos lugares de honra ficava intensa por volta do final da terceira légua, com alternâncias entre López, Karlström e o francês Kevin Campion. O gaulês chegou a parecer poder ganhar vantagem, mas as notas de desclassificação começaram a pesar e Campion teve de conter-se, mas não conseguiu evitar ser desclassificado pouco antes dos 18 quilómetros.

Pouco antes, o espanhol tinha conseguido isolar-se na segunda posição, enquanto o sueco se contentava com a medalha de bronze. Mais para trás, os portugueses mantinham ritmos regulares, com vantagem para o experiente João Vieira, mais uma vez abaixo de uma hora e 23 minutos. Quanto a Miguel Carvalho, retirava nada menos que dois minutos e nove segundos a um máximo pessoal que vinha cifrado em 1.25.40 h.

Por equipas, a Espanha impôs-se com 30 pontos, adiante da Alemanha (35) e da Irlanda (45), sendo estas as únicas formações e terminarem com os necessários três componentes que permitiam incorporar a tabela por equipas.

Classificação
20 km masculinos
1.º, Christopher Linke (Alemanha), 1.19.28
2.º, Miguel Ángel López (Espanha), 1.20.21
3.º, Perseus Karlström (Suécia), 1.20.40
4.º, Tom Bosworth (Grã-Bretanha), 1.21.21
5.º, Marius Ziukas (Lituânia), 1.21.38
6.º, Alex Wright (Irlanda), 1.21.48
7.º, Diego García (Espanha), 1.21.56
8.º, Giorgio Rubino (Itália), 1.22.05
9.º, Artur Brzozowski (Polónia), 1.22.14
10.º, Callum Wilkinson (Grã-Bretanha), 1.22.17
(...)
14.º, João Vieira (Portugal), 1.22.42
(...)
22.º, Miguel Carvalho (Portugal), 1.23.31

Por equipas
1.ª, Espanha, 30
2.ª, Alemanha, 35
3.ª, Irlanda, 45

Resultados completos aqui.

Ivan Banzeruk e Ucrânia vencem 50 km de Podebrady

Ivan Banzeruk, a caminho da vitória nos 50 km
da Taça da Europa de  Podebrady
A formação da Ucrânia foi a última a rir na prova de 50 km da 12.ª Taça da Europa de Marcha Atlética, a decorrer em Podebrady (Rep.Checa), tendo ganho esta manhã tanto na classificação individual como na colectiva. Ivan Banzeruk foi o melhor do dia, cumprindo a distância em 3.48.15 h, contra 3.48.38 h do compatriota Ihor Hlavan e 3.49.07 h do italiano Michele Antonelli. Aos dois primeiros juntou-se o sexto classificado, Maryan Zakolnytskyy (3.53.50) para dar à Ucrânia a vitória colectiva. Mercê de um desempenho com impressionante regularidade, Pedro Isidro, o único português em prova, terminou a competição num excelente oitavo lugar, com 3.56.38 h.

A abrir a jornada, marcada por tempo fresco (13º C à hora da partida da primeira competição), os 50 km tiveram no finlandês Aleksi Ojala o primeiro dominador, isolando-se na frente logo no final do primeiro quilómetro. Aos cinco quilómetros passava com 23.20 m, detendo 18 segundos de vantagem sobre o alemão Karl Junghanns, dois segundos adiante do primeiro grupo (com 3 italianos, 2 ucranianos e 2 alemães). Pedro Isidro era o 14.º, integrado num segundo grupo, a 28 segundos do líder.

No entanto, Ojala seria desclassificado pouco antes da passagem aos 10 quilómetros, cumpridos em primeiro lugar pelo ucraniano Hlavan, na companhia do italiano Federico Tontodonati. Isidro passava então no 16.º lugar, a 49 segundos, ao lado do espanhol Francisco Arcilla, junto de quem se manteria quase sempre até final.

Ainda antes de cumpridas três léguas, Teodorico Caporaso jogou a sua cartada para tentar o sucesso individual. Passava aos 15 quilómetros em 1.10.05 h, menos sete segundos que o grupo perseguidor. Pouco depois, os dois primeiros grupos, que entretanto tinham sofrido baixas, juntavam-se na perseguição a Caporaso. Ficavam assim recompostas as três formações da Alemanha, da Ucrânia e da Itália (com um elemento isolado na frente), na companhia de Brendan Boyce (Irlanda) e Damien Molmy (França).

Aos 20 quilómetros, Caporaso passava em 1.32.52, numa fase em que ganhava cinco a dez segundos por volta (ou seja, por quilómetro). O avança continuou a aumentar até meio da competição, cumprido pelo italiano em 1.55.29, menos um minutos e 34 segundos que o grupo perseguidor.

Começam então as escaramuças no pelotão, com o alemão Junghanns, o irlandês Boyce, o italiano Tontodonati e o ucraniano Banzeruk a adiantarem-se na busca de Caporaso, que ia resistindo como podia.

A caminho dos 40 quilómetros era evidente a diminuição de ritmo do italiano e a aproximação dos adversários, com notoriedade para Banzeruk, que tinha descolado dos colegas de perseguição. Iria ulrapassar o italiano por volta dos 38 quilómetros, para não mais largar o primeiro lugar, ao mesmo tempo que os colegas de equipa garantiam posições decisivas na luta pela vitória colectiva. Ihor Hlavan passava Boyce, aproximando-se de Caporaso e acabando por chegar ao segundo posto, enquanto Maryan Zakolnytskyy fechava a equipa na sexta posição.

Quanto a Pedro Isidro, conseguiu fazer quase todas as voltas de mil metros entre 4.37 m e 4.53 m, com as únicas excepções para o 38.º quilómetro (5.19) e para os dois últimos, em endiabrados 4.27 e 4.18. Por curiosidade, assinale-se que apenas dois atletas conseguiram voltas de igual ou maior ritmo que esta última do marchador português: o espanhol Francisco Arcilla, com quem Isidro disputava oitava lugar, conseguiu os mesmos 4.18 m entre os 49 e os 50 km; e o vencedor, Banzeruk, que na volta de assumir a liderança (38 km) registou 4.15 m.

Colectivamente, as melhores posições foram obtidas pelas formações que à partida alinhavam com o máximo de atletas permitido pelo regulamento (quatro, pontuando os três melhores de cada país). A Ucrânia obteve 9 pontos, contra 19 da Itália e 34 da Espanha. A Alemanha, que com apenas três atletas à partida fez durante grande parte da competição figura de destaque no grupo da dianteira com todos os seus atletas aí posicionados, acabou dizimada por dificuldades físicas de dois dos componentes (os «heróicos» Karl Junghanns e Carl Dohmann, caídos respectivamente para 18.º e 21.º, mas resistindo à tentação da desistência) e relegada para a quarta e última posição entre as formações que conseguiram classificar-se.

Classificação
50 km
1.º, Ivan Banzeruk (Ucrânia), 3.48.15
2.º, Ihor Hlavan (Ucrânia), 3.48.38
3.º, Michele Antonelli (Itália),3.49.07
4.º, Brendan Boyce (Irlanda), 3.49.49
5.º, Teodorico Caporaso (Itália), 3.52.14
6.º, Maryan Zakolnytskyy (Ucrânia), 3.53.50
7.º, Nathaniel Seiler (Alemanha), 3.55.13
8.º, Pedro Isidro (Portugal), 3.56.38
9.º, Francisco Arcilla (Espanha), 3.56.39
10.º, Iván Pajuelo (Espanha), 3.56.47

Por equipas
1.ª, Ucrânia, 9 pontos
2.ª, Itália, 19
3.ª, Espanha, 34
4.ª, Alemanha, 46

Resultados completos aqui.

Leo Köpp vence juniores na Taça da Europa de Podebrady

Pódio individual dos 10 km juniores masculinos
O alemão Leo Köpp venceu esta manhã a prova de 10 km para juniores masculinos da Taça da Europa de Marcha Atlética, a decorrer em Podebrady, na República Checa. O germânico creditou-se com 41.08 m, um novo recorde pessoal, o mesmo acontecendo com os colegas de pódio, o bielorrusso Nikita Kaliada (2.º, 41.19) e o polaco Lukasz Niedzialek (3.º, 41.28).

Estes três atletas estiveram sempre no grupo da frente, inicialmente liderado pelo ucraniano Viktor Shumik, que assumiu as despesas da liderança nos primeiros quatro quilómetros, cumpridos adiante de um quinteto de que fazia parte ainda o francês David Kuster. À quinta volta, o gaulês atrasou-se, deixando na liderança um quarteto que cumpriu a meia prova em 20.43 m.

Seria preciso esperar mais dois quilómetros para que novas evoluções ocorressem na frente. Foi então a oportunidade de Kaliada, que, impondo uma aceleração pouco depois dos sete quilómetros, determinou o atraso irremediável do ucraniano. Ficava assim composto o pódio, com uma distribuição de medalhas que se tornaria clara quando Köpp, a duas voltas do fim, desferiu o ataque decisivo, que o isolou no primeiro lugar e determinou o atraso do polaco Niedzialek no terceiro posto, com Nikita Kaliada a confirmar-se na segunda posição.

O português Rodrigo Marques teve um desempenho abaixo do esperado, rolando desde cedo na segunda metade do pelotão. Terminaria na 36.ª posição, com 50.11 m, com evidente quebra na segunda metade, cumprida sempre acima dos cinco minutos por quilómetro.

Por equipas, vitória da Bielorrússia, com 9 pontos (contributo também de Stanislau Kuzmich, 7.º, 42.18), seguida da equilibrada França (11), com 5.ª e 6.ª posições, e da Ucrânia (14).

Classificação
10 km juniores masculinos
1.º, Leo Köp (Alemanha), 41.08
2.º, Nikita Kaliada (Bielorrússia), 41.19
3.º, Lukasz Niedzialek (Polónia), 41.28
4.º, Viktor Shumik (Ucrânia), 41.38
5.º, David Kuster (França), 42.02
6.º, Justin Bournier (França), 42.14
7.º, Stanislau Kuzmich (Bielorrússia), 42.18
8.º, Abdulselam Imük (Turquia), 42.25
9.º, Giacomo Brandi (Itália), 42.46
10.º, Eduard Zabruzhenko (Ucrânia), 42.47
(...)
36., Rodrigo Marques (Portugal), 50.11

Por equipas
1.ª, Bielorrússia, 9 pontos
2.ª, França, 11
3.ª, Ucrânia, 14

Resultados completos aqui.

sábado, 20 de maio de 2017

Taça da Europa de Podebrady em directo na Internet

A 12.ª Taça da Europa de Marcha Atlética, que este domingo, 21 de maio, se realiza em Podebrady, na República Checa, terá transmissão directa na Internet por «live stream» a partir do sítio oficial da estação pública de televisão checa. As provas poderão ser acompanhadas aqui a partir das 7h30 de domingo (hora de Portugal continental, 8h30 em Podebrady), quando for dada a partida para a prova de 50 km.

As restantes provas seguem o seguinte programa (horas de Portugal continental): 9h00, 10 km juniores masculinos; ; 12h00, 20 km femininos; 15h00, 20 km masculinos; 17h00, 10 km juniores femininos. A sequência de provas estará em transmissão contínua.

Recorde-se que estão inscritos 226 atletas de 26 países, incluindo dois atletas neutrais. Portugal estará representado por nove atletas: nos 50 km, Pedro Isidro; nos 20 km femininos, Ana Cabecinha, Inês Henriques e Mara Ribeiro; nos 20 km masculinos, João Vieira e Miguel Carvalho; nos 10 km juniores femininos, Carolina Costa e Inês Reis; nos 10 km juniores masculinos, Rodrigo Marques.

Podebrady é uma cidade histórica da República Checa, conhecida pela valência de estância termal e pela prova de marcha atlética que há mais de oitenta ano ai tem lugar, primeiro como final da ligação Praga-Podebrady e mais recentemente pelo grande prémio internacional que acolhe no circuito urbano que agora serve de palco à Taça da Europa de Marcha Atlética.

Ligação para a transmissão no «site» da Televisão Checa: http://www.ceskatelevize.cz/porady/10183677624-sportovni-beh-a-chuze/217254000170001-ep-druzstev-v-chuzi/

Portugal nas Taças da Europa de Marcha (Múrcia – 2015)

O bronze dos 20 km femininos em Múrcia-2015.
Foto: Philipp Pohle – Racewalk Pictures
Montagem: O Marchador
A cidade espanhola de Múrcia, região com tradições na marcha atlética (aí realizou-se uma final do Challenge da IAAF), acolheu a décima-primeira edição da Taça da Europa, substituindo Ivano-Frankivsk (Ucrânia), que tinha ganho a candidatura, forçada a declinar, a poucos meses da sua realização, devido à situação de grande instabilidade política no país.

A seleção feminina dos 20 km marcha conquistou a medalha de bronze, com uma equipa muito consistente da qual pontificaram Ana Cabecinha (9.º lugar), Vera Santos (13.º lugar), Inês Henriques (16.º lugar) e Susana Feitor (19.º lugar). Portugal era medalhado pela terceira vez, tendo agora o terceiro lugar depois do primeiro em Miskolc-2005 e do segundo em Dudince-2013.

A seleção feminina dos 10 km juniores viria ainda a alcançar o 6.º lugar através de Edna Barros (14.º lugar) e Catarina Marques (15.º lugar).

O português José Dias integrou a equipa de juízes internacionais de marcha, repetindo as presenças nas Taças de 1996, 2000 e 2011. Joaquim Graça, que atuou na edição de 2013, voltará a atuar na edição deste ano.

E assim, chegamos à véspera da décima segunda edição da Taça da Europa de Marcha (Podebrady) com Portugal a apresentar a mais pequena delegação de sempre no historial do evento, com João Vieira (11 presenças-totalista), Inês Henriques (10), Ana Cabecinha (6), Pedro Isidro (4), Miguel Carvalho (2), Mara Ribeiro (2) e os estreantes juniores, Carolina Costa, Inês Reis e Rodrigo Marques.

Dos desempenhos da seleção portuguesa ao longo das 11 edições da Taça da Europa, a mais importante neste género de competição, e considerando posições até ao 8.º lugar, destacam-se as atuações das equipas dos 20 km femininos, com um primeiro lugar, um segundo, um terceiro, dois quartos, um quinto, um sexto e um sétimo, e as dos 50 km masculinos, com um terceiro lugar, dois quartos, um quinto, dois sextos e três sétimos.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Portugal nas Taças da Europa de Marcha (Dudince – 2013)

A medalha de prata da equipa de 20 km femininos em Dudince-2013.
Foto: facebook de Ana Cabecinha
Montagem: O Marchador
A cidade eslovaca de Dudince voltou a acolher uma edição da Taça da Europa de Marcha, a décima, com a delegação portuguesa a saborear a conquista do pódio feminino (2.º lugar) na prova dos 20 km (Ana Cabecinha, Inês Henriques, Vera Santos e Susana Feitor), onde estivera pela última vez em 2005. Nesse ano, em Miskolc (Hungria), Portugal vencera. Nas três edições seguintes registou dois quartos lugares (Leamington-2007 e Olhão-2011) e uma não classificação em Metz-2009, quando apenas Ana Cabecinha concluiu.

De salientar, ainda, três outras posições de “finalista” obtidas pela seleção portuguesa. Uma, na prova dos 50 km, com Pedro Isidro, a conseguir o único recorde pessoal dos atletas portugueses e que permitiu ao marchador do Benfica subir dois lugares na lista nacional de sempre da distância. As 3.57.09 h registadas representaram uma melhoria de 51 segundos sobre o anterior recorde pessoal, obtido na Taça do Mundo de Saransk do ano passado. A equipa fechou com Pedro Martins no 24.º lugar e Luís Gil em 25.º, sendo o atleta da Guarda um dos totalistas portugueses em Taças da Europa. Dionísio Ventura terminou na 28.ª posição.

As outras duas boas classificações da seleção portuguesa foram obtidas nos escalões de juniores. 6.º lugar coletivo no setor feminino, com Filipa Ferreira e Mara Ribeiro, e o  7.º posto coletivo, graças ao desempenho de Miguel Carvalho e Rui Coelho.

João Vieira, o outro dos totalistas portugueses, voltou a honrar as cores nacionais com uma classificação de muito bom nível (7.º) nos 20 km, repetindo o lugar de Leamington-2007.

Dois portugueses tiveram funções oficiais no evento: Joaquim Graça, na qualidade de Juiz Internacional de Marcha, atuou nas competições, e Luís Dias esteve nos trabalhos da Comissão de Marcha da Associação Europeia de Atletismo e integrou o Júri de Apelo da competição.