quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Inês Henriques eleita Atleta do Ano

Inês Henriques recebe prémio na Gala da CDP.
Foto: SAPO Desporto
A marchadora Inês Henriques foi distinguida com o prémio de "Atleta feminina do Ano", por ocasião da Gala Anual da Confederação do Desporto de Portugal, que decorreu no dia de ontem (17 Jan.), no habitual cenário do Casino Estoril.

Com 37 anos de idade, a atleta do Clube de Natação de Rio Maior, treinada por Jorge Miguel, atual campeã e recordista mundial dos 50 km marcha, interrompeu o estágio de altitude, em Sierra Nevada (Espanha) onde se treina com vista a estar nas melhores condições para dois objetivos nucleares na presente época: o Campeonato de Mundo de Nações em Marcha Atlética, em Taicang (China), a 5 e 6 de maio, e o Campeonato da Europa de Atletismo, em Berlim (Alemanha), de 7 a 12 de agosto.

Aos órgãos de comunicação social, a atleta ribatejana declarou sentir-se recompensada e feliz, em sinal de reconhecimento por todos quantos nela votaram. Referiu ainda que vai lutar pela vitória nos 50 km marcha (Taicang e Berlim), ela que foi uma das pioneiras pelo ingresso desta especialidade do atletismo em grandes eventos internacionais, em paridade absoluta entre homens e mulheres.

As outras atletas finalistas ao galardão de "Atleta do Ano" foram Joana Schenker (bodyboard), Teresa Portela (canoagem), Cláudia Neto (futebol) e Cláudia Santos (desporto para com deficiência-atletismo).

Jorge Miguel encontrava-se nomeado para a categoria “Treinador do Ano”, prémio que foi atribuído a Hélio Lucas, treinador do canoísta Fernando Pimenta.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Meryem Bekmez bate 5 recordes nacionais indoor da Turquia

Meryem Bekmez na liderança e no pódio, com o dirigente Mustafa
Akyavaş, e a partida masculina, com o vencedor Salih Korkmaz
(dorsal 79). Fotos: Atletizm TAF. Montagem: O Marchador
A jovem internacional turca Meryem Bekmez, de apenas 17 anos de idade (completará 18 anos em finais de Julho), estabeleceu nada menos de cinco novos recordes nacionais de sub-20 e absolutos do seu país no decorrer da prova de 5.000 metros marcha dos campeonatos nacionais de pista coberta realizados, dia 13, em Istambul.

Evidenciando clara superioridade sobre as demais concorrentes, Bekmez registou 21.54,25, retirando 11 segundos ao seu próprio recorde nacional de sub-20 e absoluto (antes, 22.05,38-2017). Estabeleceu ainda nas passagens novos recordes nacionais, nos 2.000 metros, com 8.38,50 (sub-20), e nos 3.000 metros, com 13.05,40 (sub-20 e absolutos).

Na principal prova masculina de 5.000 metros, vitória para Salih Korkmaz, com 20.00,50. Mert Atli (20.07,50) e Serkan Doğan (20.18,24) subiram ao pódio de uma prova muito competitiva em que os 6 primeiros realizaram marcas na casa dos 20 minutos.

Várias outras provas de marcha foram disputadas em separado, salientando-se as «performances» do sub-20 Abdulaziz Daniş (20.40,93) e do sub-18 Özgür Topsakal (21.30,32) nos 5.000 metros, da sub-18 Evin Demir (14.17,81) nos 3.000 metros, e do sub-16 Hayrettin Yildiz (9.00,86) nos 2.000 metros.

Participaram 97 marchadores dos vários escalões etários

Principais classificações
5.000 m femininos
1.ª, Meryem Bekmez, 2000 (Diyarbakir), 21.54,25
     (t.p. 3.000 m: 13.05,40; 2.000 m: 8.35.50)
2.ª, Seçil Akpinar, 1999 (Hatay), 25.53,42
3.ª, Inci Çiçek, 2000 (Hatay), 26.30,50
4.ª, Ayşegül Bircan, 2000 (Balikesir), 28.16,17
Desclassificadas: Sümeyye Huz, 1998 (Malatya), Derya Ay, 2000 (Malatya) e Hatice Akgül, 1999 (Batman).

5.000 m masculinos
1.º, Salih Korkmaz, 1997 (Kamp), 20.00,50
2.º, Mert Atli, 1993 (Antalya), 20.07,50
3.º, Serkan Doğan, 1992 (Diyarbakir), 20.18,24
4.º, Abdulselam Imük, 1999 (Diyarbakir), 20.33,19
5.º, Şahin Şenoduncu, 1994 (Aydin), 20.37,05
6.º, Bayram Izciak, 1997 (Van), 20.37,92
7.º, Mustafa Özbek, 1997 (Antalya), 21.23,11
8.º, Baver Çiğci, 1998 (Mardin), 23.55,09

Classificações completas dos masculinos [aqui] e dos femininos [aqui].

Kelly Ruddick inicia bem o ano

Kelly Ruddick na prova em Geelong.
Foto (arq.) Athletics Australia e imagem de vídeo de Jim Leppick.
Regressada às lides competitivas, Kelly Ruddick, a marchadora internacional australiana da categoria W45, está a evidenciar uma boa condição neste início de ano.

A representar o Ballarat Harriers, notável clube fundado em 1891, Ruddick obteve sábado passado (13 Jan.) em Landy Field, Geelong, a marca de 8.48,46 na prova de 2.000 metros marcha (e 1.41 nos últimos 400 metros) em jornada chuvosa a contar para 11.ª ronda da Athletics Victoria Shield.

Na mesma prova mas em masculinos, Daniel Walters (M35) foi o primeiro a cortar a meta, com 8.26,75, sendo seguido pelo olímpico Chris Erickson (9.36,26) que recentemente se retirou das competições internacionais.

Uma semana antes, a 7 de Janeiro, Ruddick já havia tido outro bom desempenho em Llanberris, Ballart, registando 13.39,52 aos 3.000 metros marcha.

Fonte: Heel and Toe e Jim Leppik

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Campeonatos da Grécia com 7 mulheres nos 50 km

A partida das principais provas, Konstantinos Ntentópoulos (468) e
Angeliki Makri (471) os campeões de 50 km e jovens em destaque,
Olga Fiaska e Yiorgos Tzatzimakis. Fotos: Zoe Gini, PIB de Olympia
Stevos, O.Fiaska e Y.Tzatzimakis. Montagem: O Marchador
Realizaram-se este domingo (14) os Campeonatos da Grécia de 50 km marcha que tiveram lugar no Centro Olímpico de Canoagem, em Maratona (junto à praia de Schinias), a 40 km de Atenas, sob temperaturas muito adversas, onde o frio se fez sentir a uma temperatura de 5 a 9 graus centígrados, o vento foi forte e ainda se registou períodos de aguaceiros, impedindo que vários atletas não pudessem terminar as suas provas.

O evento, cujo circuito foi certificado por medidor internacional, enquadrou-se nas condições exigidas para a seleção de atletas aos Campeonatos da Europa que terão lugar este ano em Berlim.

Na primeira edição dos campeonatos femininos de 50 km marcha, com uma interessante participação – 7 atletas – Angeliki Makri venceu a prova com o tempo de 4:56:00, figurando como a primeira campeã do seu país na distância. Para a campeã grega, nascida em 1978, foi um retorno à atividade competitiva depois de ter sido mãe de 3 filhos. Os outros lugares do pódio foram preenchidos com Nikolitsa Andreopoúlou (5.05.39) e Zoe Kórkou (5.34.29).

Nos 50 km masculinos, que registaram a presença de 6 atletas, a vitória sorriu, pela segunda vez, a Konstantinos Ntentópoulos, com 4.24.57, seguido de Dimitris Tsiórdas (4.26.36) e de Kostas Stamélos (4.35.18).

Nas outras provas do programa, há a destacar a marca de 1:30:36 do sub-20 Yiorgos Tzatzimakis, em preparação para os mundiais Sub-20 que vão ter lugar este ano, em Tampere, na Finlândia, e para os jovens sub-18, Anthimos Kelepouris (47.33 nos 10 km masculinos) e Olga Fiaska (24:36 nos 5 km femininos) que obtiveram mínimos para os europeus da categoria que terão lugar na cidade húngara de Gyor.

Colaboração: Zoe Gini

Classificações
50 km masculinos
1.º, Ntentópoulos Konstantinos, 1994 (Olympías Patrón) 4.24.57
2.º, Tsiórdas Dimitris, 1996 (Olympías Patrón) 4.26.36
3.º, Stamélos Kostas, 1989 (Fílippos) 4.35.18
Desclassificado: Kalaitzídis Kostas, 1997 (PAO Thérsipos).
Desistentes: Vaítsis Yiannis, 1995 (Lissós) e Gregorio Angelini, 1996 (Itália).

50 km femininos
1.ª, Makrí Angeliki, 1978 (Olympías Patrón), 4.56.00
2.ª, Andreopoúlou Nikolitsa, 1983 (Olympías Patrón), 5.05.39
3.ª, Kourkoutsáki Efstathia, 1998 (Lissós), 5.34.21
4.ª, Kórkou Zoe, 1996 (Lissós),5.34.29
Desistentes: Vaḯtsi Athasía, 1998 (Lissós), Vaḯtsi Evangelía, 1994 (Lissós) e Rénits Ivana, 1996 (Croácia).

20 km masculinos
1.º, Tzatzimakis Yiorgos, 1999 (El. Venizelos), 1.30.36 – sub-20
2.º, Charalabopoulos Antonis, 1997 (PAO Thérsipos), 1.42.24
Desistente: Tsamoudakis Zacharias, 1996 (Fokianós Kardítsas).

20 km femininos
1.ª, Anastasia Bania, 1998 (PAO Thérsipos), 1.52.00
2.ª, Asteriou Maria, 1989 (A.O Triton Chalkidas), 2.12.11

10 km femininos sub-20
1.ª, Filtisákou Kiriaki (Elefthérios V.), 52.31
2.ª, Sialmá Efstathia (Ermís Ilioú), 57.32

10 km masculinos sub-18
1.º, Anthimos Kelepouris (Fiippos Verias), 47.33

5 km femininos sub-18
1.ª, Fiáska (Athlikínisi M.), 24.36
2.ª, Kokkinélou (PAO Thérsipos), 30.03
3.ª, Gáti (Fokianós Kard.), 30.11
4.ª, Kakogiánni (PAO Thérsipos), 30.58
5.ª, Tsianavá (Fokianós Kard.), 31.24
6.ª, Tsakíri (PAO Thérsipos), 31.40,
7.ª, Pentheroudáki (PAO Thérsipos), 33.31

3 km masculinos sub-16
1.º Tselilái (PAO Thérsipos), 17.23

3 km femininos sub-16
1.ª, Tzatzimáki (Elefthérios Venizélos), 17.29 (!)
2.ª, Arvanitákou (Fokianós Kardítsas), 16.19
3.ª, Antonopoúlou (Lissós), 16.09
4.ª, Bountrá (AO Péfkis), 19.59

3 km masculinos sub-14
1.º, Mortzákis (Olympías Patrón), 14.13

2 km femininos sub-14
1.ª, Boúchali (AO Péfkis), 12.17
2.ª, Karapipéri (AO Péfkis), 12.28
3.ª, Vasileiou (Palaió Fáliro), 12.31
4.ª, Máipa (GS Vólou), 14.02

1 km masculinos sub-12
1.º, Kalogerópoulos (AO Péfkis), 6.14

1 km femininos sub-12
1.ª, Metái (AO Péfkis), 6.13
2.ª, Ntailiáni (GS Vólou), 6.24
3.ª, Kalýva (AO Péfkis), 6.32
4.ª, Nkíka (GS Vólou), 6.43

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

João Bernardo e Catarina Santos vencem sub-18 em pista coberta

Os pódios da marcha e fase inicial da prova masculina.
Fotos: ADAL. Montagem: O Marchador
Os Campeonatos Nacionais de Pista Coberta para atletas da categoria etária de sub-18 (juvenis) disputados sábado e domingo (dias 13 e 14) no recinto coberto da Expocentro, em Pombal, tiveram como vencedores das provas de marcha, e consequente conquista dos títulos nacionais, nos masculinos, João Bernardo, do Penta Clube da Covilhã (Castelo Branco) e, nos femininos, Catarina Santos, do Sporting Clube de Portugal (Lisboa).

Nos masculinos, sobre 5.000 metros, João Bernardo, terceiro classificado nos campeonatos de 2017, precisou de 24.33,15 para se sagrar o vencedor, à frente de Diogo E. Fernandes, da ACD Jardim da Serra, com 24.57,47, e de João Pinel, do CA Baixa da Banheira, com 25.22,75.

Nos femininos, na distância de 3.000 metros, Catarina Santos foi cronometrada à chegada em 15.06,33, distanciando-se 12 segundos em relação à segunda classificada, Raquel Pimentel, do CF Oliveira do Douro, com 15.18,96, ambas as marcas constituindo recordes pessoais. Ana Catarina Mestre, do CO Pechão, com 15.58,21, fechou o pódio da prova.

Esta 4.ª edição dos campeonatos foi a menos participada na disciplina da marcha, com 13 atletas, sendo 4 masculinos e 9 femininos (2015, com 16 atletas, 2016, com 21, e 2017, com 16).

Os recordes dos campeonatos permanecem inalteráveis, com 23.03,13 nos 5.000 metros masculinos, de Rodrigo Marques (CO Pechão), e 14.33,58 nos 3.000 metros femininos, de Inês Reis (PC Covilhã), ambos obtidos em 2016.

Classificações
5.000 m masculinos
1.º, João Bernardo, 2001 (Penta Clube Covilhã), 24.33,15
2.º, Diogo E. Fernandes, 2001 (ACD Jardim Serra), 24.57,47
3.º, João Pinel, 2001 (CA Baixa Banheira), 25.22,75
4.º, Rafael Ferreira, 2002 (C Atletismo Tunes), 27.59,40

3.000 m femininos
1.ª, Catarina Santos, 2001 (Sporting CP), 15.06,33
2.ª, Raquel Pimentel, 2001 (CF Oliveira Douro), 15.18,96
3.ª, Ana Catarina Mestre, 2002 (C Oriental Pechão), 15.58,21
4.ª, Bruna Marques, 2002 (CF Oliveira Douro), 16.00,65 pit lane
5.ª, Sofia Marques, 2002 (C Oriental Pechão), 16.09,54
6.ª, Filipa Diamantino, 2002 (ACS João da Serra), 16.54,50
7.ª, Ana Vicente, 2001 (C Oriental Pechão), 17.13,86
8.ª, Hirondina Casal, 2001 (CN de Rio Maior), 17.36,87
Desclassificada: Catarina Costa, 2002 (G A Casais do Vento) – pit lane.

Campeonatos da Austrália de 10.000 m marcha em pista (resultados)

Os campeões australianos, Declan Tingay (28) e Beki Smith (63), e o
início da prova masculina, com o vencedor Perseus Karlström (17).
Fotos: VRWC. Montagem: O Marchador
O sueco Perseus Karlstrom e a australiana Beki Smith estiveram em plano de particular evidência nos campeonatos australianos de 10.000 metros marcha em pista, disputados na manhã deste domingo em Camberra (14 Jan.), ao triunfarem em provas que contaram com a presença de vários e credenciados marchadores de outras paragens e que nesta ocasião do ano preparam a época na terra dos cangurus.

Na prova masculina, com a participação de 30 atletas, o vencedor, Perseus Karlstrom, realizou a marca de 39.22,41 (tem um recorde pessoal de 38.57,45, obtido em Estocolmo, a 2 de setembro do ano passado), classificando-se nas quatro imediatas posições, com tempos abaixo dos quarenta e um minutos, o canadiano Evan Dunfee (40.11,80), o lituano Marius Ziukas (40.43,17), o chileno Ignacio Araya (40.48,94) e o neozelandês Quentin Rew (40.51,55).

O primeiro dos australianos, Declan Tingay, classificar-se-ia na posição 6, imediatamente a seguir a Rew, obtendo o título nacional com a marca de 41.07,81, excelente performance para um atleta ainda júnior (de primeiro ano) e que, confortavelmente, alcançou os mínimos para os mundiais Sub-20, que terão lugar na cidade finlandesa de Tampere, em julho deste ano. Em março do ano passado quase batia o recorde australiano Sub-18 (20.08,10), que está na posse de Troy Sundstrom, com 20.06,09, desde 1998.

Rhydian Cowley, que recebeu a terceira “nota de desclassificação” já na parte final da prova, foi avisado pelo juiz-chefe do facto sendo, consequentemente, relegado para a segunda posição (um minuto de penalização) com o tempo de 41.59,33. O pódio masculino dos campeonatos australianos ficou completo com Adam Garganis, que terminou as 25 voltas à pista no tempo de 43.05,62.

Na prova feminina, com 15 participantes à partida, a australiana Beki Smith conquistou a vitória e o título nacional sendo mesmo a única a baixar da casa dos 46 minutos. Fez 45.56,08, seguida da neozelandesa Alana Barber (46.03,24) e das australianas Claire Tallent (46.06,59) e Jemima Montag, de 19 anos de idade (46.18,42).

Smith, que integrou a seleção olímpica nos últimos Jogos e não competia desde agosto de 2017 (mundiais de Londres), mostrou-se muito satisfeita com o resultado alcançado focando agora os seus esforços nos campeonatos australianos de 20 km, que se disputarão em Adelaide, a 11 de fevereiro, e onde espera conseguir vaga para Commonwealth, que terão lugar na sua terra natal, no mês de abril.

Classificações
10.000 m masculinos
1.º, Perseus Karlström (SWE - Suécia), 39.22,41
2.º, Evan Dunfee (CAN - Canadá), 40.11,80
3.º, Marius Ziukas (LTU - Lituânia), 40.43,17
4.º, Yerko Ignacio (CHI - Chile), 40.48,94
5.º, Quentin Rew (NZL - Nova Zelândia), 40.51,55
6.º, Declan Tingay (Western Australia), 41.07,88
7.º, Rhydian Cowley (Victoria), 41.59,33 pit lane
8.º, Rafal Augustyn (POL - Polónia), 42.51,07
9.º, Anders Hansson (SWE - Suécia), 42.54,95
10.º, Adam Garganis (Victoria), 43.05,62
11.º, Rafal Fedaczynski (POL - Polónia), 43.12,43
12.º, Damian Blocki (POL - Polónia), 43.40,31
13.º, Brendon Reading (Australian C), 44.09,48
14.º, Jakub Jelonek (POL - Polónia), 44.17,57
15.º, Yamamoto Toru (JPN - Japão), 44.46,53
16.º, Artur Brzozwski (POL - Polónia), 44.51,01
17.º, Tadas Suskevicius (LTU - Lituânia), 45.07,98
18.º, Carl Gibbons (New South Wales), 45.14,20
19.º, Luke Mccutcheon (Queensland), 45.31,25
20.º, Edward Ignacio (CHI - Chile), 45.36,29
21.º, Mitchell Baker (Australian C), 45.37,73
22.º, Oscar Tebbutt (New South Wales), 46.09,92
23.º, Dylan Richardson (New South Wales), 46.18,95
24.º, Kyle Swan (Victoria), 46.19,11
25.º, Connor Frew (New South Wales), 47.20,78
26.º, Remo Karlström (SWE - Suécia), 47.46,84
27.º, Timothy Fraser (Australian C), 47.54,26
28.º, Ryan Thomson (New South Wales), 50.15,01
29.º, Jack McGinniskin (New South Wales), 50.15,23
30.º, Callum Burns (Australian C), 50.55,47

10.000 m femininos
1.ª, Beki Smith (New South Wales), 45.56,08
2.ª, Alana Barber (NZL - Nova Zelândia), 46.03,24
3.ª, Claire Tallent (South Australia), 46.06,59
4.ª, Jemima Montag (Victoria), 46.18,42
5.ª, Brigita Virbalyte (LTU - Lituânia), 47.01,08
6.ª, Katie Hayward (Queensland), 47.05,36
7.ª, Regan Lamble (Victoria), 47.25,63
8.ª, Simone McInnes (Victoria), 47.37,51
9.ª, Jessica Pickles (Queensland), 47.44,15
10.ª, Allanah Pitcher (New South Wales), 50.50,75
11.ª, Philippa Huse (Victoria), 51.02,40
12.ª, Teegan Pengilley (New South Wales), 54.58,75
13.ª, Molly O'Neill (New South Wales), 56.31,75
14.ª, Chelsea Goodhew (New South Wales), 56.35,62
Desistente: Natalie Myers (GBR - Grã-Bretanha).

domingo, 14 de janeiro de 2018

Provas de controlo na pista coberta de Sabadell (resultados)

As sub-20 Mariona Garcia (459) e Mireia Urrutia (454),
o sub-23 Nil Rodes (431) e grupo dos sub-16 masc.
com o vencedor Alberto Jimenez (434).
Fotos: Teo Tovar, Pere Tibau e JJ Vico
Montagem: O Marchador
A Federação de Atletismo da Catalunha realizou na cidade de Sabadell, na Pista Coberta da Catalunha (7 Jan.), prova de controlo de marcha sujeita a mínimos de acesso e destinadas às categorias etárias de sub-23, 20, 18 e 16.

Os 5.000 metros masculinos para sub-18, 20 e 23 (sem participação feminina) disputaram-se pelas 17 horas, tendo como vencedor Nil Rodes Llorens, sub-23 da AA Catalunya, com 21.14,04. Seguiram-lhe Kevin Cerro Gudiño, sub-23 (Cornellà At., 22.03,52) e Ferran Campins Pitart, sub-20 (UA Terrassa, 23.45,41). Foram 4 os participantes.

De manhã, nas provas dos mais jovens, sobre 3.000 metros, a participação foi bem mais expressiva, com 30 atletas.

Nos femininos, Aina Urrutia Herrera (CA Canaletes) venceu uma prova a abrir a jornada para atletas sub-16, com 16.54,90. Seguiu-se outra prova que integrou marchadoras sub-20, 18 e 16, com destaque para Mariona Garcia Rovira (FC Barcelona) a obter 14.28,97, seguida de perto por Mireia Urrutia Herrera (CA Canaletes), com 14.33,57, ambas sub-20. A primeira sub-18 e terceira da geral seria Ainhoa Martinez Luceño (UA Terrassa), com 15.55,24. A sub-16 Noa Rodriguez Izquierdo (Muntanyenc S.Cugat), beneficiou de maior competitividade e obteve 16.13,28.

Nos sub-16 masculinos, triunfou Albert Jimenez Isabal (CA Canaletes), com 14.46,59, à frente de Nil Casas Duatis (Muntanyenc S.Cugat), com 14.56,06, e de Oscar Martinez Rodriguez (Pratenc AA), com 15.16,14.

Resultados completos, aqui.

Meeting de marcha na pista coberta de Banska Bystrica

Em grande plano, Dominik Černý e Mária Czaková.
Imagens de vídeo da Federação de Atletismo da Eslováquia
Montagem: O Marchador
O evento de marcha designado por «O Pohár Mateja Tótha» e realizado no passado dia 5 de Janeiro no recinto coberto da cidade de Banska Bystrica, na Eslováquia, produziu interessantes resultados, em particular na prova de 3.000 metros (mista) para a olímpica Mária Katerinka Czaková e o jovem internacional Dominik Černý.

Czaková registou 12.43,76, a escassíssimos 4 centésimos de segundo do seu recorde pessoal (12.43,72) que havia conseguido em Bratislava no ano de 2014.

Dominik Černý, de 20 anos de idade, saiu vitorioso com a marca de 11.55,76 que constitui um recorde pessoal na distância em pista coberta, se bem que tenha melhor ao ar livre (11.35,49 – Samorín-2016). Referência ainda para o segundo classificado masculino, o também internacional Daniel Kováč, de 16 anos, a terminar imediatamente antes de Mária Czaková, com 12.43,35.

O meeting englobou outras provas para os mais jovens, cujos resultados, até ao momento, não se encontram disponíveis.

sábado, 13 de janeiro de 2018

Alterações regulamentares condicionaram nacionais de 35 km/50 km

Fotomontagem: O Marchador
A maioria dos concorrentes aos 35 e 50 km dos nacionais de marcha realizados em Porto de Mós (7 Jan.) aperceberam-se minutos antes do início das suas provas que a Federação Portuguesa de Atletismo tinha produzido alterações, e em cima do acontecimento, no regulamento dos campeonatos sem que tivesse tido o cuidado e a preocupação de alertar, face à relevância dessas alterações, todos os envolvidos no processo, desde atletas, clubes, associações distritais, etc.

Perante o insólito da situação e na procura de esclarecimentos ainda no local, responsáveis federativos remetiam para a consulta do «site» da FPA, sendo certo que dentro dos envelopes entregues com os dorsais lá estava a nova versão do regulamento.

Pelo que foi possível observar na inspeção do documento em causa na página web da FPA, o ficheiro foi alterado e a última versão publicada às 15 horas e 40 minutos do dia 5 de Janeiro, portanto, na 6.ª feira, com a prova a realizar-se no domingo.

Note-se que elementos afetos às associações distritais presentes nos campeonatos igualmente desconheciam alterações ao regulamento que divulgaram junto dos seus clubes em meados de Dezembro na sua versão inicial.

De que alterações estamos então a referir-nos?

1.     NOTA INTRODUTÓRIA

Versão inicial

1.1  As provas de 35 e 50 km (Masculinos e Femininos) do Campeonato Nacional de Marcha em Estrada realizar-se-ão em separado das restantes provas deste Campeonato.

1.2  Os atletas participantes nos 50 km serão também classificados na prova de 35 km mesmo que não terminem a prova de 50 km.

Nova versão (alterações sublinhadas)

1.1  As provas de 35 e 50 km (Masculinos e Femininos) do Campeonato Nacional de Marcha em Estrada realizar-se-ão em separado das restantes provas deste Campeonato. Realiza-se também o Campeonato Nacional de Marcha para Veteranos nestas 2 distâncias.

1.2  Os atletas participantes nos 50 km serão também classificados na prova de 35 km apenas se terminarem a prova de 50 km.

3. CLASSIFICAÇÕES

Foi adicionado:

No Campeonato Nacional de Veteranos existirão classificações individuais, por escalão etário e por género, e classificações coletivas por género, sendo estas obtidas através do somatório da pontuação de 10 pontos para o 1º classificado, 9 pontos para o 2º classificado, até 1 ponto ao 10º classificado, vencendo coletivamente o Clube que classificar no mínimo 5 atletas e tiver o maior número de pontos, no somatório de todos os escalões. Em caso de empate, vence o Clube com maior número de atletas classificados.


Como se pode verificar, as alterações afiguraram-se significativas no seu conteúdo, baralhando as intenções quando do processo de inscrições no prazo exigido pela federação.

Na questão dos 35 km/50 km, primeiro “mesmo que não terminem a prova de 50 km” e depois “apenas se terminarem a prova de 50 km” condicionou em muito, por exemplo, o atleta que viria a ser campeão nacional da distância maior, sendo obrigado a concluir para que o seu clube pudesse completar a equipa nos 35 km. Outro clube em condições de pontuar não teve esse problema com o seu elemento dos 50 km porque tinha à chegada os necessários 3 atletas nos 35 km. Também houve o caso de atletas que passaram os 35 km, ou mesmo terminaram essa distância, convencidos que seriam classificados, o que não veio a acontecer perante o novo regulamento, que desconheciam. Houve até quem em plena prova, para perceber o que fazer, questionava preocupado sobre o assunto.

Já no caso dos veteranos, o regulamento da FPA veio contrariar, e de que maneira, o regulamento da ANAV, associado extraordinário da própria federação!

Repare-se que a ANAV no seu «site» refere no ponto 1 (Introito) do seu regulamento do que apelida de «Campeonato Nacional Marcha Longa», «uma organização da FPA em parceria com a ANAV» que é disputado nas distâncias de 20 e 30 km para Femininos e 30 e 50 km para Masculinos, algo que contrasta com o regulamento da FPA (35 km e 50 km para masculinos e femininos).

Quanto às classificações, e em particular no apuramento coletivo, as diferenças são evidentes:

«Neste evento existirão 2 classificações individuais por escalão etário e género: 20 e 30 Kms para femininos e 30 e 50 kms para masculinos. Estas 4 classificações contarão para a classificação colectiva conjunta. Estas serão obtidas através do sistema de pontuação de cada género e escalão, atribuindo-se ao 1º classificado 8 pontos, ao 2º classificado 7 pontos, e assim sucessivamente, até 1 ponto aos restantes classificados. Efetuado o somatório dos pontos dos atletas, vencerá o Clube que obtiver maior pontuação em ambos os géneros. Os casos de empate serão decididos a favor dos clubes que obtiverem mais primeiros lugares no conjunto das provas do programa completo. Caso o empate subsista, aplicar-se-á o mesmo critério em relação aos segundos lugares, e assim sucessivamente, até ao desempate.»

A ANAV até já apurou, «a posteriori», uma classificação coletiva que não parece refletir a entrega de prémios efetuada no local após as provas!

Ou seja, o que afigura uma perfeita descoordenação e falta de entendimento até na própria «casa» FPA.

Em conclusão, e independentemente da pertinência, ou não, das alterações produzidas, e até pelo escasso número de participantes nos campeonatos, não teria sido difícil à FPA fazer circular a informação de forma atempada junto das associações distritais, e estas junto dos clubes filiados, etc., etc, adotando uma postura proactiva e empreendedora.

Desta forma ter-se-ia evitado os transtornos causados à maioria dos atletas, as principais vítimas desta lamentável situação.

Pombal acolhe Nacionais de Sub-18 de Pista Coberta

Foto: ADAL. Montagem: O Marchador
O Pavilhão da Expocentro, em Pombal, vai receber este fim-de-semana a quarta edição dos Campeonatos Nacionais de Sub-18 em pista coberta, uma organização da Federação Portuguesa de Atletismo, em parceria com a Associação Distrital de Atletismo de Leiria, e o apoio do Município de Pombal. As provas de marcha serão realizadas na tarde de hoje (sábado), os 5.000 metros masculinos às 16:45 horas, e os 3.000 metros femininos às 18:00 horas.

Apesar dos mínimos de participação terem sido fixados nuns acessíveis 28 minutos e 30 segundos para a prova masculina e em 17 minutos e 30 segundos para a prova feminina, a participação anunciada (resta saber se todos confirmam) é escassa tendo em conta, principalmente, o tipo de escalão etário, o que deve (ou deveria) merecer uma preocupação acrescida por parte dos responsáveis federativos.

São apenas 4 (!!!) os atletas inscritos na prova masculina (participaram 5 em 2015, 7 em 2016 e 6 em 2017) e 9 na prova feminina, quando nas três edições anteriores registou-se a participação de 11 meninas em 2015, 14 em 2016 e 10 em 2017.

Os campeões em título (de 2017), Ângela Carvalho, do CN Rio Maior, e Daniel Gouveia, do CA Seia, estão agora ingressados no escalão Sub-20. Rodrigo Marques (CO Pechão), com 23.03,13 (5.000m) e Inês Reis (PC Covilhã), com 14.33,58 (3.000m) possuem os recordes dos campeonatos, ambos obtidos na edição de 2016.

Os recordes nacionais “indoor” estão na posse de Ricardo Vendeira, do Maratona Clube do Montijo, com 21.18,37, nos 5.000 m marcha, tempo obtido em 28.02.1998, em Espinho, e de Susana Feitor, do Clube de Natação de Rio Maior, com 12.42,1 nos 3.000 m marcha, tempo conseguido em Braga, em 29.02.1992.

A lista de inscritos (geral por prova) e outras informações podem ser consultadas aqui.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Pedro Martins: aniversário de 50 anos

Pedro Martins, aniversariante.
Fotos: A Hearty Nomad
O credenciado marchador Pedro Martins completa hoje 50 anos de idade.

Tem no seu currículo desportivo 8 títulos de campeão de Portugal nos 50 km, 27 internacionalizações (25 vezes nos 50 km), destacando-se as presenças nos Jogos Olímpicos de Sydney-2000 e Atenas-2004, nos Campeonatos do Mundo de Sevilha-1999, Edmonton-2001, Paris-2003 e Hensínquia-2005, e nos Campeonatos da Europa de Munique-2002 e Gotemburgo-2006.

Ainda no passado domingo (7 Jan.) em Porto de Mós, foi 6.º classificado na geral do Campeonato Nacional de 35 km e campeão nacional na categoria M45.

Muitos Parabéns, Pedro Martins! 

Inglaterra disputou campeonatos de pista coberta em Sheffield (resultados)

Os pódios masculino e feminino dos campeonatos em Sheffield.
Fotos: England Athletics. Montagem: O Marchador
As provas de marcha de 3.000 metros para masculinos e femininos dos campeonatos ingleses abertos em pista coberta foram disputadas na jornada do dia 7 de Janeiro na cidade de Sheffield, a sexta cidade mais populosa do país, localizada no condado de South Yorkshire.

Nos masculinos, a vitória foi obtida pelo campeão do mundo de sub-20 (Bydgoszcz-2016) Callum Wilkinson, agora sub-23, do Enfield & Haringey AC, atleta treinado por Andi Drake, que registou a marca de 11.30,77, claramente à frente de toda a concorrência. Os lugares do pódio foram preenchidos por Cameron Corbishley, sub-23 (Medway & Maidstone AC, 12.24,99) e por Tom Partington, sub-20 (Manx Harriers, 12.55,61), numa prova que contou com 5 participantes.

Nos femininos, o almejado título ficou na posse de Gemma Bridge, do Oxford City AC, orientada Mark Wall, com 13.40,03, à frente de Erika Kelly (Northern (Isle of Man) AC), com 14.01,64. Apenas 5 segundos depois de Kelly entrava na meta a polaca Agata Kowalska (14.06,61), com a sub-20 Ana García (City of Sheffield & Dearne AC, 14.53,50) a ser a terceira dos campeonatos. A prova teve 10 atletas à partida, tendo-se registado a desclassificação da favorita Bethan Davies (Cardiff AAC).

Classificações
3.000 m masculinos
1.º, Callum Wilkinson (Enfield & Haringey AC), 11.30,77 - sub-23
2.º, Cameron Corbishley (Medway & Maidstone AC), 12.24,99 - sub-23
3.º, Tom Partington (Manx Harriers), 12.55,61 - sub-20
4.º, Luc Legon (Bexley AC), 13.05,66 - sub-23
5.º, Benjamin Allen (Leicester Walking Club), 16.19,42 - sub-20

3.000 m femininos
1.ª, Gemma Bridge (Oxford City AC), 13.40,03
2.ª, Erika Kelly (Northern (Isle of Man) AC), 14.01,64
3.ª, Agata Kowalska (POL - Polónia), 14.06,61
4.ª, Ana García (City of Sheffield & Dearne AC), 14.53,50 - sub-20
5.ª, Sophie Lewis Ward (Cambridge Harriers), 15.30,71 - sub-20
6.ª, Megan Stratton-Thomas (Swansea Harriers), 15.58,35 - sub-20
7.ª, Emily Ghose (Tonbridge AC), 16.50,01 - sub-20
8.ª, Lucy Lewis Ward (Cambridge Harriers), 17.10,93 - sub-17
9.ª, Pagen Spooner (Hyde Park Harriers), 18.24,93 - sub-20
Desclassificada: Bethan Davies (Cardiff AAC).

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Kévin Campion destaca-se nos Campeonatos da Normandia (indoor)

Kévin Campion na liderança da prova e Sylvie Sevellec.
Fotos: Athlétic Club Barentin - ACB e Ouest-France
Montagem: O Marchador
Na sua primeira prova de 2018 – os Campeonatos da Normandia de Pista Coberta, 6 janeiro – o internacional gaulês Kévin Campion (AFA Feyzin-Vénissieux) venceu os 5.000 metros marcha com a marca de 19.40,44, a apenas quatro segundos do seu recorde pessoal na distância em recinto coberto (19.36,86 em Bompas-2012). O atleta detém 18.44,79 como o seu melhor registo ao ar livre (Reims-2013). Participaram 10 atletas.

Campion, cujo principal objetivo da presente época são os Campeonatos Europeus de Berlim, que terão lugar em agosto, garantiu o acesso aos Campeonatos de França de Pista Coberta que terão lugar a 18 de fevereiro, em Liévin.

Na prova feminina, com 16 atletas a participar, Sylvie Sevellec, do Athletic Club Cessonnais, uma atleta de 53 anos de idade que regista títulos europeus de veteranos no seu currículo desportivo, venceu com a marca de 15.21,74.

Classificações
5.000 m masculinos
1.º, Kévin Campion, 1988 (AFA Feyzin-Vénissieux), 19.40,44
2.º, Nicolas Picard, 1980 (AS Tourlaville), 24.26,60
3.º, Virgile Tassigny, 1970 (Havre AC), 24.45,28
4.º, Jerome Bocquet, 1985 (Havre AC), 25.00,60
5.º, Steeve Cois, 1989 (ASC Le Havre), 25.34,68
6.º, Manuel Avice, 1980 (AC Barentin), 27.03,30
7.º, Maxime Becquerelle, 1992 (Stade Dieppois), 27.29,06
8.º, Edouard Begin, 1980 (SPN Vernon), 29.38,23
9.º, Jean-pierre Begin, 1953 (SPN Vernon), 30.59,09
10.º, Frederic Andrieux, 1963 (Aigle M61 - S/L AC Mortagne), 31.58,54

3.000 m femininos
1.ª, Sylvie Sevellec, 1964 (EAC - S/L AC Cesson), 15.21,74
2.ª, Aline Hauchard, 2000 (SS76 - S/L EA du Plateau Est), 15.34,84
3.ª, Auriane Dutot, 2000 (SS76 - S/L EA du Plateau Est), 15.37,93
4.ª, Camille Dutot, 2002 (SS76 - S/L EA du Plateau Est), 16.37,58
5.ª, Helene Blandin, 1985 (Stade Sottevillais 76), 17.31,72
6.ª, Marianne Andre, 2001 (Aigle M61 - S/L AC Mortagne), 17.57,36
7.ª, Dalhia Mensah, 2001 (SPN Vernon), 17.58,68
8.ª, Lea Labbe, 2002 (AC Barentin), 18.15,22
9.ª, Anais Dupas, 2002 (SPN Vernon), 18.19,78
10.ª, Victoria Amblard, 19870 (Evreux AC), 18.21,02
11.ª, Sophie Aldebert, 1967 (Aigle M61 - S/l Entente Aube L), 18.34,07
12.ª, Vanessa Denisselle, 1984 (Val-de-Reuil AC), 19.27,27
13.ª, Jessica Blanchard, 1985 (Les Andelys), 19.42,05
14.ª, Stephanie Esther, 1977 (EA Louviers), 20.24,10
15.ª, Claire Lefebvre, 2000 (AC Barentin), 20.50,76
16.ª, Ingrid Montagna, 1976 (AC Barentin), 21.15,85

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Competição de Natal na pista coberta de Kiev, Ucrânia (resultados)

Momentos antes da partida masculina, com Ruslan Dmytrenko (191)
e Alina Tsviliy. Fotos: R. Dmytrenko e Flaso Sumy (arq.)
Montagem: O Marchador
Nas celebrações do Natal Ortodoxo na Ucrânia, que se comemorou no dia 8 passado, teve lugar, nos 2 dias seguintes, a 23.ª edição da Competição Nacional de Atletismo de Natal do recinto coberto de Kiev, cujo programa integrou provas de marcha de 5.000 metros masculinos e femininos.

Nos masculinos, Ruslan Dmytrenko, de Donecka, averbou o triunfo com a marca de 18.52,94, atleta que detém um recorde pessoal de 18.21,76 desde Samara-2014. Os segundo e terceiros classificados registaram marcas na casa dos 19 minutos, nomeadamente Ivan Losev, com 19,02,59, e Sergiy Budza, com 19.43,14, ambos de Kievska.

Nos femininos, Alina Tsviliy, de Kievska, vencedora da Taça de Inverno em Dezembro, voltou a triunfar agora com marca mais expressiva de 22.55,10. Daria Khusainova, de 19 anos, de Zhitomirska, com 24.02,55, e Irina Koval, de Kievska, com 24.46,49, ocuparam os restantes lugares do pódio.

Classificações
5.000 m masculinos
1.º, Ruslan Dmytrenko, 1986 (Donecka), 18.52,94
2.º, Ivan Losev, 1986 (Kievska), 19,02,59
3.º, Sergiy Budza, 1984 (Kievska), 19.43,14
4.º, Konstantin Puzanov, 1991 (Donecka), 20.06,51
5.º, Kirilo Andrushchenko, 1993 (Donecka), 20.33,49

5.000 m femininos
1.ª, Alina Tsviliy, 1994 (Kievska), 22.55,10
2.ª, Daria Khusainova, 1998 (Zhitomirska), 24.02,55
3.ª, Irina Koval, 1996 (Kievska), 24.46,49
4.ª, Evgeniya Sichok, 2000 (Kievska), 27.13,56
5.ª, Evgeniya Galcova, 1995 (Kiev), 27.31,96

Colaboração: Kristina Saltanovic